maio 19, 2019

970×90

Acusada de participação no latrocínio que vitimou milionário da Telexfree vai para o presídio

Acusada de participação no latrocínio que vitimou milionário da Telexfree vai para o presídio

Daiane de Oliveira Dias, 20 anos foi encaminhada para o Conjunto Penal de Feira de Santana na tarde da última segunda-feira (1º), por volta das 15h:30, por policiais do Serviço de Investigação da 1ª Coordenadoria de Polícia Civil de Feira de Santana, que tem o comando do coordenador João Rodrigues Uzzum. Ela é acusada de participação no latrocínio, que vitimou o milionário da Telexfree, Dorian, no último dia 19.
No inicio da tarde da segunda-feira, a acusada acompanhada com seus advogados, Guga Leal e Thainan Gomes Ramos, compareceram no Complexo e Delegacias do Sobradinho e se apresentou ao coordenador João Uzzum, após a mesma tomar conhecimento, de que o Mandado de Prisão Preventiva contra a mesma, tinha sido deferido pelo Juiz da 3ª Vara Civil, da Comarca de Feira de Santana, Vicente Reis Santana Filho, na última sexta-feira.

Na delegacia, durante entrevista, Daiane voltou a negar sua participação no latrocínio e novamente informou que. “Eu não sabia que os meninos (ladrões) iriam matar ele, o acerto foi só para roubar o carro. Jamais eu iria manda matar Dorian, uma pessoa, que me ajudava sempre”.

 

“Se eu tivesse participação na morte dele, com certeza teria fugido e não fugir. A preventiva saiu, eu fiquei sabendo, e não fugir, procurei um escritório de advogado e me apresentei. Com certeza a justiça, vai ver toda situação e confirmar tudo que estou dizendo e me inocentar”, contou Daiane.

Provas Contundentes

O coordenador João uzzum, afirmou que as investigações, as ouvidas dos dois acusados (Davi Gordo e Joanderson) presos em flagrante e também do depoimento de Daiane quando foi encaminhada coercitivamente na tarde do dia 21 de Julho.

“A prisão Preventiva foi decretada devido o resultado de um trabalho de investigação, desde que ocorreu o inicio da prisão desses elementos. Após a prisão deles efetuadas pela Polícia Militar, através da equipe do major Mello Neto. Iniciamos as investigações e descobriu que o veiculo SW4 apreendido com os criminosos, pertencia a vitima (Dorian)”.
“Ambos durante interrogatório que foi filmado, eles confessaram o latrocínio e indicaram ela, como mentora do delito, no aprofundamento das investigações descobriu onde ela ficava escondida. Trouxemos a delegacia, para ser interrogada, onde ela também traçou da forma como foi praticado o delito e posteriormente foi submetido a uma acareação entre ela e os comparsas”.

“Segundo o apurado, Daiane tinha oito anos que era amante de Dorian e se encontrava regularidade aqui na cidade de Feira de Santana, visitando motéis da cidade. Nesta data especifica, ela marcou com a vitima, um encontro nas frente do posto desativado da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Ao se encontra, ela acertou com ele que iriam namora em uma casa, casa essa, alugada por Davi Gordo, provavelmente esse crime foi premeditado”.
“Foram para essa casa, mantiveram relações sexuais, após o término, Davi Gordo e Joanderson entraram na casa, certamente tinham a chave e anunciaram o assalto. A vitima foi subjugada na presença de Daiane, depois Davi Gordo e Joanderson levaram a vitima até a zona rural de Humildes e executaram com seis tiros na nuca de Dorian”.
“Após executarem Dorian, Davi Gordo e Joanderson retornaram, guardaram o carro em um estacionamento próximo da UEFS e foram fumar maconha nos fundos da universidade para comemorarem a morte de Dorian. No dia seguinte, de maneira sínica, ela postou mensagens nas redes sociais, diversas condolências a família, se lamentando da morte da vitima. Então, ela não puxou o gatilho, mas participou de todo planejamento, a ideia inicial foi dela e segundo que informou os comparsas, ele deveria ser morto, porque desconfiou que ela estava envolvida”, finalizou o delegado.

A Defesa

A advogada Thainan Gomes explicou que vai solicitar a liberdade de Daiane Oliveira, já que ela continua afirmando que não tem participação na morte de Dorian. “Ela nos afirma todo tempo, que não sabia que os acusados iriam matar a vitima e que sabia apenas do roubo do veículo. Então, acredito que a não participação dela na morte vai melhorar a situação, diante da justiça”, frisou.

O advogado Guga Leal explicou também, que o fato dela não ter deixado a cidade é um atenuante forte a favor. “Ela tinha toda oportunidade para fugir, porém, não fugiu, demonstrando que tem interesse de não atrapalhar o andamento processual e que vai responder o processo e demonstrar o que aconteceu realmente”, contou o advogado.
Entenda o Caso
Policiais do Pelotão de Emprego em Táticas Operacionais (PETO) da 66ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), sob o comando do Major Melo Neto prenderam na noite de quarta-feira (20-07-16), três suspeitos de participarem no rapto, tortura e homicídio que vitimou o milionário Dorian da Silva Santos, que ficou conhecido internacionalmente após ser o Top 10 da Telexfree. Dorian foi vitima de latrocínio na noite de terça-feira (19-07-16).

Os criminosos foram identificados como: Davi Rios de Oliveira, o conhecido Davi Gordo do Feira X, 21 anos; Joanderson Menezes de Lima, 24 e Fernando Brito Candido, 21. Com o trio de criminosos, os policiais recuperaram o veiculo Toyota/SW4 de cor branca, pertencente ao bilionário Dorian da Telexfree, além de duas armas de fogo. A polícia confirma que Davi Gordo e Joanderson estavam envolvidos na morte do milionário e foram autuados por latrocínio e assalto a mão armada. Enquanto, Fernando foi preso e autuado em flagrante por assalto a mão armada. Com informações Folha do Estado.

Compartilhe isso
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde
%d blogueiros gostam disto: