abril 11, 2021

970×90

Após polêmica, Temer, Renan e Cármen Lúcia têm encontro nesta sexta-feira

O presidente Michel Temer se encontra, nesta sexta-feira (28) com o presidente do Congresso, Renan Calheiros, e a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia. Este será o primeiro encontro dos chefes dos Três Poderes desde a Operação Métis, na qual policiais do Senado foram presos por ordem da Justiça Federal em Brasília. A reunião tem o objetivo de debater a segurança pública, e tem a participação de demais autoridades da área.

Após a prisão dos policiais legislativos por policiais federais, Renan Calheiros reagiu com veemência, chamando o juiz de primeira instância Vallisney Souza Oliveira, de Brasília, que autorizou a ação, de “juizeco’. Por sua vez, Cármen Lúcia rebateu, afirmando que  se sente agredida sempre que um juiz é agredido. 

A reunião será realizada no Palácio do Itamaraty. De acordo com a Folha de S. Paulo, antes da reunião, Renan teria ligado para Cármen Lúcia para pedir desculpas pela polêmica gerada. Renan teria falado com a ministra na quinta-feira (27) e, além das desculpas, teria afirmado que a respeitava e a admirava pelo trabalho à frente do Judiciário. Depois, teria dito que suas declarações deveriam ser vistas como uma defesa do Legislativo, na mesma linha do que fez Cármen Lúcia ao rebater as críticas dele, defendendo o Judiciário.

Teori suspende Operação Métis

Na quinta-feira (27), o ministro Teori Zavascki, do STF, determinou a suspensão da operação que prendeu na semana passada agentes da Polícia Legislativa por suposta tentativa de obstrução de investigações sobre parlamentares na Operação Lava Jato. O relator da Lava Jato no STF ordenou, também, o envio de todo o processo relativo à operação da Justiça Federal do Distrito Federal para a Suprema Corte.

A decisão de Teori é liminar (provisória) atende a um recurso do presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que criticou a operação.

Deflagrada na última sexta-feira (21), a Operação Métis gerou uma crise entre os Três Poderes a partir das declarações de Renan. Na ocasião, o presidente do Senado também criticou a falta de ação do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, sobre a Polícia Federal, classificando o ministro de Michel Temer como “no máximo, um chefete de polícia”. Na sequência, Renan fez críticas ao juiz que autorizou a entrada da PF no Senado.

Protesto

Antes mesmo do encontro começar, policiais civis do Distrito Federal se concentraram em frente ao ministério para aproveitar a presença dos representantes dos três Poderes e reivindicar isonomia salarial com a Polícia Federal (PF) e protestar contra “o sucateamento da segurança pública no DF”, segundo anunciou o sindicato local. 

Os manifestantes se posicionaram ao redor de um boneco inflável do governador do DF, Rodrigo Rolemberg, caracterizado como o personagem Pinóquio. Em função do barulho que eles provocaram, as autoridades tiveram que mudar de sala.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde