dezembro 17, 2018

970×90

Apresentado oficialmente no Bahia, Guto Ferreira diz: ‘Responsabilidade imensa’

Apresentado oficialmente no Bahia, Guto Ferreira diz: ‘Responsabilidade imensa’

Substituto de Doriva no cargo de técnico do Bahia, Guto Ferreira foi apresentado oficialmente na tarde desta segunda-feira (27), no Fazendão, antes do seu único treinamento visando o duelo contra o Oeste, na próxima terça-feira (28), pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Junto ao presidente Marcelo Sant’Ana, o comandante tricolor agradeceu pela confiança dos dirigentes do Esquadrão e mais uma vez pediu o apoio da torcida.

“Agradeço a oportunidade de coordenar um projeto de grandeza. Um clube bicampeão brasileiro, um dos maiores do país em termos de torcida. É uma responsabilidade grande, mas minha vida sempre foi movida por desafios. Foi esse tipo de desafio que me moveu a trocar uma equipe de série A, no meio da tabela, pelo Bahia. A gente veio jogar aqui em Salvador contra o Bahia e a torcida é de arrepiar. Um dos motivos foi poder ter toda essa energia do nosso lado, se multiplicando positivamente. Onde a gente passa, essa parceria sempre foi diferencial”, declarou, Guto, que relembrou suas passagens anteriores por Chapecoense e Ponte Preta em relação a momentos difíceis. O seu novo clube vem de quatro derrotas consecutivas na Série B.

Acho que existe sim um elenco competitivo. A maioria dos jogadores que trabalhei foram vencedores onde treinei. Existe sim uma equipe competitiva. As carência que a gente detectar, existe condição já passada pela direção de se buscar. Não adianta simplesmente trazer nome. O nome só joga no dicionário. Temos que trazer qualidades e de forma pontual para não ter um grupo inchado”, indicou. Sem poder acompanhar as últimas partidas, Guto acredita que o time precisa recuperar a confiança e o seu posicionamento dentro de campo.

“Por incrível que pareça acompanhei um pouco do jogo com o Tupi, mas tinha um compromisso com a Chapecoense, como não tinha nada certo, tive que me dividir. A partida conta o Brasil, quem acompanhou foi o André [auxiliar técnico], estava em deslocamento. A gente não viu na totalidade, mas viu muita coisa. Recda conviança é a primeira coisa. O time está distante, espaçado setores do campo. São coisas que precisamos atacar. Nãos erá o suficiente. Mas não se consegue mudar da água para o vinho em algumas horas. A gente visa alguma coisa de melhora para amanhã. Vai depender de como está o adversário e o que vamos conseguir passar para os atletas” acrescentou. No momento, o Esquadrão figura na nona posição da competição nacional, com 17 pontos.

Compartilhe isso
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde
%d blogueiros gostam disto: