abril 11, 2021

970×90

Bahia apresenta evolução no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)

Bahia apresenta evolução no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)

A rede estadual de ensino público da Bahia apresentou evolução no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2015, divulgado na última quinta-feira (8) pelo Ministério da Educação. A medição é realizada a cada dois anos.

O ensino fundamental – anos iniciais, passou de 4,0 em 2013, para 4,3 em 2015. O crescimento também ocorreu nos anos finais do ensino fundamental, passando de 3,1 para 3,2 em 2015. No ensino médio, o índice também apresentou melhora: passou de 2,8 para 2,9 em 2015.

Dentre as unidades escolares que obtiveram destaque na avaliação está o Colégio Democrático Professor Romulo Galvão, em Elísio Medrado, que teve um salto de 4,1 em 2013 para 5,2 em 2015, superando a meta prevista para 2019.

Os colégios da PM também atingiram índices elevados, como foi o caso do CPM Antônio Carlos Magalhães, em Itabuna, que saiu de 4,8 em 2013 para 5,8 em 2015. Outra unidade escolar que se destacou foi Colégio Estadual Deputado Henrique Brito, situada em Salvador, que teve acréscimo no índice de 2,9 em 2013 para 4,3 em 2015. Estas duas unidades escolares ultrapassaram a meta prevista para 2021.

Educar para Transformar

Através do programa Educar para transformar, lançado em 2015, o Governo da Bahia vem preparando as bases para um salto de qualidade na próxima aferição do Ideb, que será em 2017. O programa tem ações de formação de professores, fortalecimento da relação com os municípios com foco na alfabetização de crianças de até oito anos de idade, fortalecimento do protagonismo estudantil e linhas de ações para tornar mais atrativo o ensino das ciências em sala de aula, com o desenvolvimento da Feira de Ciências da Bahia (Feciba) e o Centro Juvenil de Ciências e Cultura (CJCC), que realiza oficinas e cursos nas diversas áreas do conhecimento.

Feira de Ciência

A Feciba, que tem o objetivo de incentivar a iniciação e pesquisa científica nas escolas estaduais, na 5ª edição, realizada em 2015, teve 1.082 trabalhos submetidos, divididos entre estudantes de 544 unidades na Bahia, de 200 municípios. Ao total, estiveram envolvidos diretamente mais de 21 mil alunos. Os classificados puderam expor seus trabalhos nas principais feiras de ciências do Brasil, como a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), promovida pela Universidade de São Paulo (USP), e Mostra Brasileira de Ciência e Tecnologia (Mostratec).

Centro Juvenil

Os Centros Juvenis de Ciência e Cultura são espaços dedicados à educação complementar, ao lazer criativo, à interação social, ao conhecimento tecnológico e à ciência com a realização de Cursos e Oficinas, como Robótica, Piloto Virtual, Embaixadores da Ciência, Cultura Geek, Game Design, entre outros. Oportunizam também que os estudantes descubram sua vocação profissional a partir das experiências vivenciadas.

O CJCC recebeu, em 2015, o prêmio do Edital de Inovação e Criatividade no Ensino Médio, promovido pelo Ministério da Cultura (MEC), e o selo de reconhecimento na 11ª Edição do Prêmio Itaú-Unicef. Para atender a 11 mil estudantes, em 2016, o Estado conta com Centros Juvenis em Salvador, Senhor do Bonfim, Itabuna, Barreiras e Vitória da Conquista.

Ações Estratégicas

A Secretaria também está desenvolvendo parcerias estratégicas, a exemplo da Telebras, do Sistema S, das universidades federais da Bahia, universidades estaduais, institutos federais de ensino e centros de pesquisas, todas voltadas para a melhoria da Educação. Outra iniciativa para potencializar a Educação em curso é a implantação de Campi Integrados de Educação Básica, que vão reunir unidades escolares com projetos pedagógicos articulados, e com a ideia de compartilhamento de equipamentos, projetos, profissionais e espaços de convivência.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde