maio 19, 2022

970×90

Bancada baiana do PT tem consenso sobre Jaques Wagner candidato, confirma Éden Valadares

Bancada baiana do PT tem consenso sobre Jaques Wagner candidato, confirma Éden Valadares

O presidente do PT da Bahia, Éden Valadares, e a executiva do partido se reuniram com a bancada de deputados federais e estaduais da sigla no Estado. A reunião aconteceu na segunda-feira (21). O petista classificou o encontro como “debate político profundo”.

Nas palavras de Éden existe um consenso da bancada pela candidatura do PT ao governo do Estado e o nome de Jaques Wagner para o posto de cabeça da chapa. Também faz afagos ao governador Rui Costa (PT), colocado como postulante ao Senado.

“A defesa da candidatura de Wagner é consenso no PT, assim como a importância e relevância que o nosso governador Rui Costa terá no processo eleitoral. Rui é o melhor governador do Brasil, e junto com Lula e Wagner, formam o principal ativo eleitoral do PT Bahia”, disse.

“Nossa prioridade, insisto, é manter esse time unido em defesa da Bahia e do projeto de Lula para o Brasil”, completou.

Sobre entreves legislativos, a exemplo do projeto da Embasa em tramitação na AL-BA, Éden informou que temas específico das casas não foram abordados.

“Aqui na Bahia nossa bancada é aliada de primeira hora, como não poderia deixar de ser, do nosso governador e temos buscado ampliar o diálogo com o secretário Caetano para melhorar a cada dia essa relação entre os deputados e deputadas e o governo”, comentou.

Confira uma curtinha com o presidente do PT da Bahia:

Qual o sentimento das bancadas diante de uma possível não candidatura de Wagner ao governo da Bahia?

Éden Valadares: Ontem foi um dia de debate político profundo, de uma reflexão coletiva importante para o PT Bahia. Digo isso porque não conjecturamos sobre os nomes ventilados para a chapa, nós discutimos e reafirmamos o que a gente aprovou no Congresso e no nosso diretório: o caráter singular das eleições 2022 para o Brasil, com a necessidade de derrotarmos Bolsonaro e eleger Lula Presidente; do papel que a Bahia tem nessa conjuntura por ser o maior colégio eleitoral do Nordeste e o principal Estado governado pelo PT; e a necessária e imprescindível manutenção da aliança que vem transformando a Bahia nestes 15 anos. Dessa forma, a posição do PT Bahia segue em defesa do fortalecimento do palanque de Lula na Bahia, pela valorização da nossa aliança com os partidos da base e pela candidatura própria ao Governo do Estado, com o nome de Jaques Wagner. Essa segue sendo nossa leitura, essa é a posição política do PT e, pelo que tenho conversado, de outros partidos da nossa base também.

Houve alguma defesa ao nome de Rui Costa integrar a chapa?

Éden: A defesa da candidatura de Wagner é consenso no PT, assim como a importância e relevância que o nosso governador Rui Costa terá no processo eleitoral. Rui é o melhor governador do Brasil, e junto com Lula e Wagner, formam o principal ativo eleitoral do PT Bahia. A possibilidade de ter Rui como candidato é um bom problema, significa que temos grandes nomes e várias opções no partido e no nosso grupo. Wagner, Rui, Otto, Lídice, Leão, é um time e tanto. Nossa prioridade, insisto, é manter esse time unido em defesa da Bahia e do projeto de Lula para o Brasil. É fundamental dizer, e isso também está afinado internamente no PT, que alimentar fofoca ou disse-me-disse sobre a relação entre o partido, Wagner e Rui é um jogo que só interessa aos nossos adversários. Nós teremos firmeza na nossa estratégia e flexibilidade na nossa tática para alcançar o fortalecimento e a unidade do grupo. São essas as nossas metas: um grande palanque para Lula, a unidade do grupo, o protagonismo do PT e ampliação das nossas bancadas. Com maturidade e tranquilidade, com muito diálogo e franqueza, encontraremos uma boa resolução para essa equação. As lideranças e as direções partidárias farão isso olho no olho, dialogando como sempre foi, e não pela imprensa. Wagner é reconhecido nacionalmente pela sua habilidade política e temos inteira confiança na sua capacidade de conduzir a construção da chapa. Vou a Brasília hoje, inclusive, para retomar as conversas com ele.

Qual vai ser o principal mote de atuação das duas bancadas neste ano? Sobre AL-BA pacificou o assunto da Embasa?

Éden: Não falamos sobre agenda legislativa específica ontem. Aqui na Bahia nossa bancada é aliada de primeira hora, como não poderia deixar de ser, do nosso governador e temos buscado ampliar o diálogo com o secretário Caetano para melhorar a cada dia essa relação entre os deputados e deputadas e o governo. Em Brasília temos uma bancada aguerrida na oposição aos desmontes e retrocessos que Bolsonaro e seus aliados tentam aprovar contra a classe trabalhadora, contra as conquistas do povo brasileiro, sobretudo daqueles que mais precisam. Mas, é claro, em ano eleitoral tudo acaba sendo muito pressionado pela disputa do próximo semestre.

Fonte: Bnews

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde