abril 05, 2020

970×90

Bellintani projeta ‘cenário de grande dificuldade’

Bellintani projeta ‘cenário de grande dificuldade’

Em meio às crises e incertezas sobre o futuro do futebol no Brasil e no mundo – suspenso e sem previsão de retorno –, os clubes brasileiros tentam, dentro do possível, colocar em ação planos emergenciais, cortar gastos e fazer novas previsões financeiras para os próximos meses. Tudo isso em decorrência da pandemia coronavírus que tem assolado todos os continentes. “Estamos nos preparando para um cenário de grande dificuldade”, afirmou o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani.

Inicialmente, em território brasileiro, os times liberaram os atletas dos treinos até o dia 30 de março – período de 15 dias da data do anúncio.

Mas devido ao crescente número de casos em todo o país, a possibilidade de uma previsão para o retorno dos campeonatos é cada vez mais incerta. Dessa forma, após reunião online da Comissão Nacional de Clubes, algumas questões foram levantadas para reduzir no caixa dos times.

Entre as propostas estão a de conceder férias coletivas para jogadores e comissão pelo período de 30 dias, com apenas 50% do valor sendo pago neste momento e todo o restante até 31 de dezembro; e após as férias coletivas e não sendo possível a volta dos campeonatos, aconteceria a redução da remuneração (CLT e imagem) em 50% por 30 dias, com treinamento em casa.

As propostas foram enviadas para a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (FENAPAF) e para outros sindicatos de atletas profissionais.

Entre os clubes que participaram da reunião está o Bahia. Em entrevista ao canal SporTv, no último sábado, Bellintani afirmou que os clubes não conseguirão durar muito tempo sem os jogos.

“Na situação atual, depende muito de como é composta a receita do clube. Se considerar que a TV vai manter contratos, que o campeonato será adiado, mas não cancelado, nem reduzido, considerando que não teria evasão de sócios, de patrocinadores, diria que um clube aguenta dois ou três meses, no máximo. Se essa rede que sustenta o clube for mais frágil, tem clube que não suporta 30 dias”, afirmou.

O presidente do Tricolor ainda disse não acreditar que os patrocinadores interrompam os pagamentos aos clubes, mas prevê problemas nas futuras negociações. “Se a pandemia for longa, precisaremos ajustar nosso planejamento de forma significativa”, falou o mandatário à equipe de reportagem.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde