dezembro 02, 2021

970×90

Caso Daniel Prata: audiência de instrução acontece nesta quinta-feira (3)

A audiência de instrução sobre o acidente que resultou na morte do publicitário baiano, Daniel Prata, acontece na manhã desta quinta-feira (3), no Fórum Criminal, localizado no bairro de Sussuarana, em Salvador.  O rapaz, de 29 anos, morreu após o carro que conduzia ser atingido pelo veículo do advogado Roberto João Starteri Sampaio Filho, no Itaigara, no dia 8 de novembro de 2014.
 
“A última foi suspensa. Hoje têm testemunhas dele [do advogado] que não vieram e pode pedir a suspensão da audiência. Se tudo correr direitinho, mais para frente o juiz pode decidir se ele vai a júri popular”, disse a mãe do publicitário, Graça Paschoalick Prata, ao Bocão News.
 
Segundo o inquérito policial, finalizado dez meses após o caso, o suspeito da morte, o advogado e professor universitário Roberto João Starteri Sampaio Filho, cometeu homicídio doloso contra Daniel e lesão corporal grave contra a médica Luciana Tavares, que também estava no carro com o publicitário e ficou ferida. Em novembro do ano passado, o Ministério Público do Estado da Bahia ofereceu à Justiça uma denúncia contra o advogado e pediu a decretação de sua prisão preventiva.
 
Segundo o advogado da família de Daniel, Bruno Nova, a conclusão do inquérito foi baseada nas imagens de câmeras de vigilância da Avenida ACM, onde ocorreu o acidente, e da boate em que Roberto estava antes do acidente. O defensor da vítima ainda diz que o suspeito se negou a fazer teste de bafômetro no dia do acidente com o argumento de não produzir provas contra si mesmo.
 
O advogado de Roberto, Sérgio Habib, contesta que as provas indiquem a embriaguez do cliente. Ele defende que muitos aspectos do processo podem influenciar na decisão do Ministério Público sobre o caso. Roberto responde ao inquérito em liberdade, depois de ficar detido preventivamente por três dias, logo após o acidente.  Ele ficou detido em cela especial na Polícia Interestadual (Polinter), no bairro dos Barris.
 
O delegado Nilton Tormes, titular na 16ª Delegacia, que investiga o caso, afirmou que o professor já foi flagrado dirigindo sob o efeito de álcool em outra ocasião, após ter provocado um acidente, e também já se envolveu em uma briga generalizada no interior da Bahia. No entanto, o advogado de Roberto afirmou à época que ele não tem antecedentes criminais.
 
Segundo a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), a caminhonete dirigida pelo professor bateu na lateral do veículo conduzido pelo publicitário, que capotou em seguida. O carro de Daniel ficou completamente destruído.
 
Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde