Cesta básica sofre reajuste de 10,58% na Bahia, maior aumento entre as capitais

 Cesta básica sofre reajuste de 10,58% na Bahia, maior aumento entre as capitais

A cesta de básica de Salvador teve o maior percentual de reajuste entre as capitais no primeiro trimestre deste ano, com 10,58%. No mês de março, o custo do item foi a R$ 620,13, segundo o último levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Para desembolsar esse valor, um trabalhador soteropolitano, remunerado pelo salário de mínimo de R$ 1.412,00 precisou trabalhar 96 horas e 37 minutos.

“A questão climática também foi preponderante, inclusive agora no mês de março, com altas acentuadas no tomate e na banana. O tomate teve uma alta de 13,96, a banana de 8,02”, afirmou a supervisora regional do Dieese Ana Georgina Dias, em entrevista ao Correio. Outros fatores acabam influenciado nos preços dos itens e no custo total da cesta básica, desde questões relacionadas à safra ou uma maior movimentação do mercado.

Uma safra boa aumenta a oferta e, consequentemente, os preços são menores. “Se você tem uma safra pior e uma oferta mais reduzida para uma demanda que aumenta ou permanece a mesma, os preços ficam mais elevados”, afirma responsável do Dieese.

A banana e o tomate foram os responsáveis pelo maior aumento de custo da cesta no primeiro trimestre, com alta de 49,91% e 22,22%, respectivamente. Os preços foram elevados em razão do clima. “Esses dois produtos são cultivados num período curto. Então, eles acabam captando essas variações bruscas de clima. Esse verão foi mais quente do que o normal e teve mais chuvas em algumas regiões produtoras”, afirma Ana Georgina.

No caso da banana da prata, especificamente, ainda um problema com a doença conhecida como Mal do Panamá, que ataca de forma severa a lavoura, imprimindo perdas excessivas. Em algumas situações, toda a plantação é perdida. “Essa doença tem atingido bananais de todo o país, o que também tem reduzido a oferta de fruta e, por consequência, eleva os preços”, diz o diretor de Fruticultura da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Márcio Oliveira.

A boa notícia é que, em abril, o preço da banana já teve uma considerável redução, especialmente o da banana nanica, que está 75% menor do que em fevereiro. “As lavouras estão se reestabelecendo e, por consequência, os preços já começaram a baixar”, diz Oliveira.

Embora a cesta básica de Salvador tenha registrado o maior reajuste entre as 17 capitais onde o Dieese realiza o estudo, o levantamento apontou que o custo soteropolitano ainda é o quinto menor. “Mas é bom a gente lembrar que esse custo costumava ser o segundo menor, o terceiro menor, então ele já está aí mudando um pouco de posição”, explica Georgina.

Vale ressaltar que o a composição das cestas do Nordeste é diferente, o que explica esse valor da cesta soteropolitana: batatas não estão inseridas e a farinha de mandioca é o equivalente a farinha de trigo, por exemplo. “As cestas com menor valor não significam, necessariamente, que são mais baratas. Nós sabemos que temos muitas pessoas que ganham menos do que o salário-mínimo”, finaliza Georgina.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todo o conteúdo deste portal é protegido por leis de direitos autorais. Para republicação ou uso, entre em contato com nossa equipe de suporte.