Como a polícia chegou até o acusado de matar o dentista Lucas Maia em Salvador

 Como a polícia chegou até o acusado de matar o dentista Lucas Maia em Salvador

Na manhã desta segunda-feira (18), Patrick Pereira de Souza Pinho, de 22 anos, foi preso pela morte do dentista Lucas Maia. Ele foi preso em sua casa, no Engenho Velho da Federação. Para identificar e localizar o suspeito, a polícia diz que o trabalho de investigação foi conduzido de várias maneiras, com destaque para análise das imagens de câmeras de segurança.

Segundo a delegada Zaira Pimentel, titular da 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico), desde o primeiro contato com o caso, houve um extenso apoio do departamento para que envolvidos fossem localizados. Até o momento, 24 pessoas foram ouvidas, incluindo Patrick e a companheira, com quem morava. Outras duas, indicadas pelo próprio acusado, ainda prestarão depoimento.
Uma tatuagem do Super-Homem na mão ajudou na identificação de Patrick. “Assim como o circuito das câmeras de segurança, a tatuagem foi determinante para identificação do envolvido. Ele declarou que não tinha nenhum tipo de envolvimento amoroso e sexual com a vítima. O envolvimento era só relacionado mesmo a amizade”, afirma a delegada Pilly Dantas, coordenadora da 1ª Delegacia de Homicídios Atlântico.
A imagem da tatuagem que aparece no vídeo foi ampliada pela polícia durante a investigação. “Fizemos aproximação e confirmamos de fato que se tratava de uma imagem do emblema do Superman. E hoje confirmamos que a imagem era uma tatuagem, definitiva, e é do autor. Com a prisão dele, confirmamos. Está lá muito nítida, no dorso da mão esquerda, que corresponde às imagens do dia do crime, quando ele desce no elevador”, diz.
O mandado de prisão, busca e apreensão foi cumprido ainda no início da manhã, por volta de 6h. Na casa, foram encontradas peças de roupa de Lucas e uma televisão, que a Polícia ainda analisa se pertencia à vítima ou não.
Em imagens, é possível ver o momento que Patrick tenta se manter escondido, coberto por um lençol. De acordo com a delegada Dantas, Patrick não tentou fugir e nem apresentou resistência à prisão.

“Ele foi para a cozinha, ficou debaixo da pia e tentou se cobrir, mas nós já tínhamos conhecimento de que ele estaria em casa naquele horário. Mas não houve nenhuma reação no momento do cumprimento da prisão, ele não reagiu”, disse Dantas.

Após a prisão, Patrick e a companheira foram levados para a DH Atlântico para prestar depoimentos. A esposa de Patrick ficou sabendo do crime apenas ao reconhecer o marido em imagens de câmeras de segurança divulgadas na imprensa, segundo a polícia.

 

 

Descubra mais sobre LF News -

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading