fevereiro 18, 2020

970×90

Contra o Nacional-PAR, Bahia tenta evitar nova decepção na Sul-Americana

Contra o Nacional-PAR, Bahia tenta evitar nova decepção na Sul-Americana

Nesta quarta-feira, 12, às 21h30, na Arena Fonte Nova, o Bahia tem uma ótima oportunidade de voltar para o caminho dos triunfos e provar para a nação tricolor que a eliminação na Copa do Brasil, para o River-PI, e a derrota em casa para o Vitória, pela Copa do Nordeste, foram duros golpes, não há como negar, mas apenas deslizes, pontos fora da curva no planejamento.

E para deixar essa recente imagem negativa, resgatar a autoestima do elenco e da torcida, além de aliviar a pressão no técnico Roger Machado, o Esquadrão de Aço tem pela frente nesta quarta o Nacional-PAR, no jogo de ida da primeira fase da Copa Sul-Americana.

Confiante de que o Tricolor dará uma resposta positiva em campo, a volta por cima já no confronto contra o paraguaios, o atacante Élber, que iniciou a temporada como titular do trio de ataque, ao lado de Clayson e Gilberto, espera dar um basta na atual má fase.

“Não vamos ser eliminados de novo. Isso tenho total certeza. O que de ruim aconteceu, não tem nada para piorar. A eliminação na Copa do Brasil, a derrota no clássico [Ba-Vi]. Quanto a mais uma eliminação, tenho certeza que todo o grupo vai entrar focado e determinado para não deixar o ano terminar tão cedo. A gente vai tentar ir o mais longe possível na competição, sempre buscando o máximo, que é o título”, garantiu o camisa 7.

Para o importante duelo do dia pela copa continental, Élber mostrou sua faceta de bom aluno e revelou ter estudado o adversário, com conhecimento sobre o início de temporada do Nacional.

“Particularmente, eu, sempre que jogo, procuro aprender um pouco sobre eles [adversários]. Vi que estão fazendo três ou quatro jogos. Início de ano muito bom. Joguei contra eles [Nacional] quando estava no Cruzeiro. Equipe de qualidade na época. Estão mostrando que continuam de qualidade. Vamos ver o vídeo deles para entender pontos fortes e fracos”, comentou o veloz atacante tricolor.

Atenção total

A eliminação precoce na primeira fase da Copa do Brasil, para o River, do Piauí, de acordo com Éber, deixou lições. Além de ter a diferença de serem dois jogos – ida e volta – o atacante sabe da importância de vencer em casa e evitar, a todo custo, sofrer gols.

“A diferença do jogo contra o River-PI [Copa do Brasil] é que era só um jogo. Agora são dois. A gente tem a chance de fazer a primeira partida diante de nosso torcedor. Temos que fazer de diferente, vencer a partida e tentar não sofrer gols. Primeiro o triunfo, depois marcar o maior número de gols possível para levar boa vantagem e conseguir a classificação”, pontuou o atleta, que fez um apelo à nação tricolor: “A gente pede compreensão e pede que quem vá ao estádio nos apoie do começo ao fim. Tenho certeza que podemos fazer um grande jogo”.

Sétima força do Paraguai

Sexto colocado no Campeonato Paraguaio de 2019, o Nacional (PAR), adversário do Bahia na noite desta quarta, não vê a Copa Sul-Americana como prioridade. Pelo menos é o que analisa o jornalista paraguaio Roberto Rojas, que atualmente trabalha no beIN Sports.

“Eles querem brigar na Sul-Americana – não para ganhar – mas para ver como eles são vistos pelos outro times do continente. A prioridade sempre é fazer um bom Campeonato Paraguaio e, logo depois, se classificar para um torneio internacional”, afirmou.

Mesmo com nove títulos – o quinto que mais conquistou o torneio nacional – o ‘Nacional Querido’, como é conhecido, é considerado o sétimo entre os  times preferidos pelos paraguaios. “Sportivo Luqueño e Sol de América  têm mais torcida”, informou Rojas.

Seu grande ápice foi ter chegado à final da Libertadores, contra o San Lorenzo, em 2014. Desde então, não tem conquistado grande relevância nacional. O último título paraguaio foi em 2013 – do Torneio Clausura, que é como se fosse o segundo turno de lá. O Nacional só  voltou à Libertadores em 2019, quando ficou com a terceira colocação no campeonato local. No ano passado, ficou na sexta posição, juntando os torneios Apertura e Clausura, com 52 pontos conquistados em 44 partidas.

Destaques

A boa campanha foi fundamental para trazer jogadores como Cristian Riveros, volante que atuou por times importantes como Grêmio e Sunderland (ING). Outra peça conhecida, mas essa pelo torcedor baiano, é Guillermo Beltrán, centroavante que atuou pelo Vitória em 2014, sem deixar saudades. Em 15 jogos pelo Leão – três como titular – não marcou nenhum gol. Nesta temporada, tem dois gols em quatro jogos.

No entanto, o grande destaque mesmo, de acordo com Rojas, é Edgar Zaracho. Mesmo sendo um meio-campista, o jogador de 30 anos já soma três gols em 2020.   

*Sob supervisão do editor Daniel Dórea

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde