abril 11, 2021

970×90

Drone Phantom 4 com câmera 4k e diferentes modos de voo é testado

O Phantom 4 é um drone fabricado pela empresa chinesa DJI capaz de gravar vídeos em 4K e alcançar até 5 km de distância. Ele já está à venda no Brasil pelo preço de R$ 8.300. Para descobrir mais sobre o Phantom 4 e saber se vale a pena comprar o drone, confira o teste do TechTudo, que traz as primeiras impressões sobre o robô.

O design não mudou muito do Phantom 3 para o 4, mas o novo drone está mais moderno e elegante. Sua montagem é bem simples: basta inserir a bateria e encaixar as quatro hélices (cada uma tem uma cor correspondente para evitar erros). A parte mais complicada é que ele só funciona com um dispositivo conectado ao controle – que pode ser um smartphone ou tablet. As operações são feitas por meio de um aplicativo, o DJI GO disponível para aparelhos Android, iPhone e iPad (iOS). Depois da adaptação, o app tende a ser uma boa ajuda no manuseio do drone.

O Phantom possui três modos de voo: inicial, mediano e esporte. A diferença é que nos modos mediano e esporte (que pode chegar a até 72 km/h), o drone para por inércia, ou seja, ele não interrompe o movimento lentamente, o que é bom para vídeos. No entanto, a vantagem do modo inicial é que ele reconhece pessoas e objetos por perto, permitindo parar o movimento de forma mais brusca e rápida. Nossos testes foram realizados no modo inicial, que oferece um manuseio mais seguro ao detectar a presença de objetos por perto. Isso é possível, porque, além da câmera de vídeo, o Phantom tem câmeras estereográficas que o permitem “enxergar” as pessoas ao redor.

A bateria leva cerca de 1 hora e 20 minutos para carregar e oferece autonomia de, aproximadamente, 27 minutos de voo. A princípio, pode parecer pouco, mas vale lembrar que o drone é recomendado para uso profissional. Além disso, é possível comprar baterias extras pelo preço de R$ 930.

drone

O quadricóptero alcança até 5.000 pés de altura – cerca de 1,5 km – e é capaz de “andar” por uma distância de até 5 km do dono. No entanto, ele vem de fábrica com 120 metros de altura ativados. Pelo software, é possível aumentar essa configuração, mas não é recomendado usar o drone em sua altura máxima, segundo a fabricante. Com a tecnologia Light Bridge, é possível transmitir a imagem capturada por ele. Ou seja, o usuário controla o drone pelo aplicativo e tem acesso, em tempo real, às imagens do local por onde o dispositivo estiver passando. Se acontecer algum problema com a transmissão da imagem, tudo fica gravado no cartão de memória, que fica acoplado na câmera do drone.

Por falar nisso, a câmera do Phantom 4 grava vídeos em 4K, mas pode filmar em Full HD ou slow motion (câmera lenta) e fazer fotos. O drone tem estabilização por meio de campo eletromagnético que impressiona. Ele é capaz de se manter equilibrado, mesmo com ventos mais fortes, de até 30 km/h, segundo a DJI. Além disso, durante os nossos testes, mesmo quando empurrado, o dispositivo continuava em equilíbrio. O resultado são imagens de alta qualidade e estáveis gravadas pelo Phantom. Vale ressaltar que, quanto mais vento, mais bateria o drone gasta para se estabilizar.

Os controles são simples e lembram os de um carrinho de controle remoto. Apesar disso, dá um certo receio em um primeiro momento. Uma dica é fazer todos os movimentos de forma suave para não correr o risco do drone ir muito longe e o piloto perder o controle. Além disso, sempre que o usuário sentir que fez algum comando errado, basta soltar os botões do controle. Para calibrar o GPS, é preciso girar o drone em torno do seu próprio eixo, na vertical e na horizontal. O procedimento não é dos mais práticos, mas também não toma muito tempo do usuário.

Pelo aplicativo no tablet conectado ao controle, é possível executar as funções de seguir um objeto e iniciar um voo com apenas um deslize na tela. O app também permite controlar a exposição, como em uma câmera profissional. É possível definir a abertura da lente e a velocidade do obturador. Há também um modo automático, que determina tudo isso de acordo com o que a câmera achar melhor. Esse modo de controle da exposição é útil para fotos em ambientes noturnos. O drone não deve ter desempenho espetacular à noite apenas com essas configurações, mas é possível acoplar uma luz para resultados melhores.

A principal diferença do Phantom 4 para sua versão anterior é a capacidade de seguir pessoas ou objetos. Durante os testes, com apenas uma configuração pelo aplicativo, o drone seguiu uma pessoa, percorrendo o mesmo caminho do “alvo”.

Outro recurso interessante é que, se o drone perceber que não há mais sinal de rádio, ele é capaz de retornar sozinho para o lugar de onde partiu. Basta que o controlador acione um botão no aplicativo. Além disso, o Phantom tem luzes que indicam a proa e a popa, percentual de bateria e quando o GPS está ativo. Vale lembrar que ele não é resistente à água, ou seja, ele pode até suportar uma chuva leve, mas seu motor não pode ser molhado.

O Phantom 4 custa R$ 8.300, o que é um investimento alto para um usuário casual, por exemplo. No entanto, é importante dizer que seu uso tem foco mais profissional, já que não é um brinquedo. Por exemplo, tem sido cada vez mais comum o uso de drones para socialização de crianças autistas, como uma espécie de “terapia”, assim como para proteção ambiental, principalmente para encontrar focos de incêndio, e até mesmo na agricultura.

Com isso, é possível afirmar, considerando o preço e as especificações do Phantom 4, que o drone é mais indicado para profissionais, e não tanto para iniciantes. O motivo não é tanto o nível de dificuldade no manuseio, mas uma pessoa experiente com esse tipo de aparelho tem mais chances de fazer melhor proveito da ficha técnica do dispositivo.

 

Por Aline Batista

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde