fevereiro 28, 2021

970×90

El Niño custa R$ 4 bilhõe para à Bahia

El Niño custa R$ 4 bilhõe para à Bahia

A agropecuária baiana, que vinha se mantendo em alta, mesmo com todas as dificuldades internas e externas, foi baqueada por uma velha conhecida: a seca. Graças às travessuras do El Niño, que modificou o regime de chuvas na região Oeste no 1º trimestre deste ano, a região deixou de faturar R$ 4 bilhões e os produtores tiveram uma prejuízo de R$ 1 bilhão, de acordo com a Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba). Perderam-se 30% da soja e 40% do algodão, conta o presidente da Aiba, Júlio Cézar Busato.

Em média, esperava-se a produção de 270 arrobas de algodão por hectare, mas conseguiu-se produzir 150 arrobas. No caso da soja, o projetado era de 59 sacas e o resultado foram 35 sacas. Mas houve casos em que não se chegou a 15 sacas de soja por hectare, conta Busato.

O prejuízo causado pela mudança no regime de chuvas vai impactar diretamente no Produto Interno Bruto (PIB) da Bahia, que deve ser divulgado ainda esta semana. Espera-se que o resultado aponte uma perda em torno de 30% na produção de grãos, chegando a 80%, no caso do feijão. Com isso, embora ainda não haja um número fechado, a tendência é que a agricultura, que vinha funcionando como propulsora da economia baiana, junte-se à indústria e ao comércio no terreno negativo. Com informações Correio.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde