setembro 26, 2021

970×90

Em reunião pública, Embasa destaca retomada das obras do Sistema de Esgotamento Sanitário de Lauro de Freitas

Em reunião pública, Embasa destaca retomada das obras do Sistema de Esgotamento Sanitário de Lauro de Freitas

Conservação dos recursos naturais, eliminação de poluição do solo e condições de higiene que promovam a saúde são alguns dos benefícios que a obra de esgotamento sanitário de Lauro de Freitas trará para o município. Essas melhorias futuras foram reforçadas durante a reunião pública da Embasa, realizada nesta quarta-feira (18), na faculdade Unime. O encontro contou com a participação de representantes da Prefeitura Municipal, lideranças comunitárias e munícipes.

A obra de complementação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) no município é realizada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC. Além das intervenções que estão sendo executadas em Lauro de Freitas, com a instalação de redes coletoras e elevatórias, a obra ainda contempla a execução da linha de recalque que transporta o esgoto do município até a ECP (Emissário Submarino Jaguaribe), em Salvador.

Na abertura da reunião, a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, fez uma retrospectiva do processo de construção da obra. “A nossa proposta para trazer a obra de esgotamento surgiu em 2006, quando estive em Brasília buscando recursos. Na época, entendemos que antes de começar o esgotamento precisaríamos esperar a ampliação do emissário submarino de Salvador. Após isso, entre os anos de 2011 e 2012, as obras foram iniciadas pelo Estado no município e infelizmente foram paralisadas no fim de 2012 por uma ação judicial”, contou.

Segundo a prefeita, a paralisação durou quatro anos e só foi retomada no ano de 2017. “A nossa luta foi para que o emissário submarino fosse interligado com Lauro de Freitas. Nesse processo o duto que transportará os esgotos ficou pronto, além da estação elevatória, que fica próxima ao Restaurante Popular, e algumas ligações intradomiciliares. Hoje temos recursos captados e contratados para chegarmos a 80% de esgotamento sanitário. Para os 20% restantes já existem projetos de captação do Governo do Estado”, completou.

A obra de complementação do sistema de esgotamento sanitário em Lauro de Freitas está no início e a vigência das intervenções tem prazo até abril de 2024. De acordo com Gustavo Maior, gerente de execução e responsável pela engenharia, a obra possui três bacias, denominadas de Baixo Ipitanga, Flamengo e Picuaia, que bombearão o esgoto para a elevatória final. No município estão sendo construídas 12 estações elevatórias, além de 120 km de redes auxiliares.

“O objetivo da obra é concluir o sistema de transporte até o emissário submarino, na Boca do Rio, em Salvador, e de complementar os locais onde tiverem intervenções nas outras etapas, para dar funcionalidade a todo o sistema. Começamos as obras pela bacia do Baixo Ipitanga, que está mais próxima da estação elevatória principal, e depois vamos expandir por todo o município. A meta da Embasa é que no início de 2023 já tenhamos a funcionalidade do sistema de transporte”, relatou Gustavo.

Entre as apresentações do projeto da obra de esgotamento sanitário, representantes da Embasa também discorreram sobre licenciamentos ambientais e do trabalho social que é executado durante todo o processo de intervenção local. As obras no município estão sendo executadas pela empresa PEJOTA e os investimentos com a Caixa Econômica Federal ultrapassam a ordem de 170 milhões. A população pode tirar dúvidas, reclamar ou sugerir através dos telefones da Embasa (71) 3512-5972 ou 99157-3873.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde