abril 10, 2021

970×90

Entre março e abril, fiscalização interrompeu 24 festas que descumpriam decretos em Lauro de Freitas

Entre março e abril, fiscalização interrompeu 24 festas que descumpriam decretos em Lauro de Freitas

Quatro festas com aglomeração foram interrompidas no feriado da Semana Santa em Lauro de Freitas. O registro consta do balanço divulgado nesta terça-feira (6) pela equipe da Operação Força Tarefa da Prefeitura de Lauro de Freitas. O público destes eventos era formado, em sua maioria, por jovens que no momento da ação não usavam máscaras de proteção e consumiam bebidas alcoólicas.

Entre os meses de março e abril, equipes responsáveis pela fiscalização do cumprimento de medidas adotadas pela Prefeitura de Lauro de Freitas para evitar a proliferação do novo coronavírus, interromperam 24 festas que estavam promovendo aglomerações.

Grande parte das festas estava sendo realizada em residências nos bairros de Vilas do Atlântico e Ipitanga, e contavam com no mínimo 60 participantes, chegando, em alguns casos, a mais de 150. De acordo com Smith Neto, superintendente da Secretaria de Trânsito, Transporte e Ordem Pública (SETTOP), responsável pela coordenação da força-tarefa, todas as aglomerações foram interrompidas. Alguns organizadores apresentaram resistência e tiveram de ser conduzidos à delegacia.

Além da interrupção das festas, entre os dias 19/2 e 5/4 (última segunda-feira), 29 estabelecimentos comerciais foram notificados e nove interditados durante a fiscalização do cumprimento da medida que restringe a circulação noturna no município. Nesta faixa de horário, que agora voltou a ser das 20 às 5h da manhã, só é permitida a circulação de quem estiver indo a farmácias e unidades de saúde, ou em casos em que fique comprovada a urgência do deslocamento.

Os estabelecimentos notificados ou interditados durante a operação noturna eram, em sua maioria, bares sem autorização para funcionar, ou de estabelecimentos que estão autorizados a operar apenas na modalidade delivery, mas no momento da fiscalização estavam disponibilizando o atendimento a clientes em mesas ou realizando entregas na porta, o que não é permitido pelos decretos municipais.

A força-tarefa, que também fiscaliza o cumprimento de medidas por parte dos estabelecimentos comerciais autorizados a funcionar durante o dia, é composta por representantes das Secretarias de Desenvolvimento Urbano e Uso do Solo (SEDUR); Meio Ambiente, Saneamento e Recursos Hídricos (SEMARH), Segurança Pública (SMSP), com atuação da Guarda Municipal, e Saúde (SESA), contando ainda com o PROCON Municipal e o apoio das Polícias Civil e Militar.

De acordo com Smith Neto, a resistência das pessoas com a fiscalização diminuiu consideravelmente. “No primeiro momento era tudo muito novo e a sociedade não estava entendendo as medidas, achando que se tratava de um excesso por parte da gestão municipal, já neste ano, que a pandemia se agravou, percebemos que a população está a nosso favor, a grande maioria virou parceira, o que pode ser observado inclusive no grande número de denúncias que temos recebido por meio do 156.”

Qualquer cidadão que identificar aglomerações ou descumprimento das medidas para evitar a proliferação do novo coronavírus, como a obrigatoriedade do uso de máscaras, disponibilização de álcool em gel e distanciamento mínimo, pode denunciar por meio do número 156 da Central Integrada de Mobilidade Urbana (CIMU), que funciona 24 horas. A identidade do denunciante sempre é mantida em sigilo.

 

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde