“Esperar três meses para receber caminhões com água é uma afronta! Quem tem sede tem pressa!”, declara Neto ao pedir providências quanto à calamidade vivenciada por municípios baianos

 “Esperar três meses para receber caminhões com água é uma afronta! Quem tem sede tem pressa!”, declara Neto ao pedir providências quanto à calamidade vivenciada por municípios baianos

Em discurso realizado na Câmara, o deputado federal Neto Carletto (PP) cobrou ações emergenciais do Governo Federal quanto ao estado de calamidade vivenciado por alguns municípios baianos. “É urgente que sejam tomadas medidas para desburocratizar o acesso dos municípios ao fornecimento de recursos, principalmente para que o alívio chegue. Atualmente, além das regiões que enfrentam a seca, várias cidades e comunidades isoladas da Bahia têm amargado gravíssimos problemas de abastecimento de água potável em razão do excesso de chuvas e enchentes”, frisou o parlamentar.

De acordo com Neto, até o dia 6 de fevereiro, 24 municípios baianos haviam decretado situação de emergência em decorrência das fortes chuvas que castigam diferentes regiões do estado nesse início de ano. “Devido à urgência de socorro, esperava-se que houvesse mais agilidade no acesso a recursos e ações para atender às demandas das populações atingidas. No entanto, o que vemos é o agravamento da penúria e da vulnerabilidade dessas populações. O fornecimento de água limpa, que precisaria ser assumido como uma das ações prioritárias, esbarra em questões burocráticas que já deveriam ter sido superadas. Tal como tenho alertado em pronunciamentos anteriores sobre as barreiras que as prefeituras encontram para serem atendidas por carros-pipa na seca extrema, os municípios afetados pelas chuvas intensas também têm se deparado com grandes entraves junto aos órgãos de defesa civil e seus parceiros. Os prazos obedecidos pelo Ministério da Integração e pelo Exército, que atuam em cooperação no envio de carros-pipa às localidades carentes de água limpa, são absurdos; podem levar até três meses. Isso é inaceitável diante de uma situação de crise emergencial”, explicou o deputado.

Segundo dados da Defesa Civil do Estado da Bahia, já foram contados quase 10 mil indivíduos desalojados, mais de seiscentos desabrigados, 13 feridos e seis mortos por consequência das chuvas. Além disso, mais de 122 mil pessoas foram afetadas de outras formas por eventos climáticos, de acordo com as ocorrências registradas em 34 municípios. “A assistência integral a essas pessoas deve ser prestada de forma célere e eficiente. São vidas em risco! A burocracia nessas horas de desalento, servem apenas para piorar a situação. O que cobramos é agilidade e simplificação de processos para que os recursos essenciais à sobrevivência de populações afetadas por calamidades cheguem rápido a quem mais precisa. Faço um apelo às autoridades dos órgãos de defesa civil do Governo Federal e do Estado da Bahia, para que revejam os procedimentos que estão dificultando o fornecimento de água potável por carros-pipa à população. E conto com o apoio das senhoras e senhores deputados nessa batalha. Esperar três meses para receber caminhões com água é uma afronta! Quem tem sede tem pressa!”, concluiu Neto.

Fonte: Ascom do deputado federal Neto Carletto (PP)

Deixe uma resposta

Descubra mais sobre LF News -

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading