maio 19, 2022

970×90

Funcionários e pacientes da Central de Regulação de Lauro de Freitas experimentaram na prática a importância das atividades corporais

Funcionários e pacientes da Central de Regulação de Lauro de Freitas experimentaram na prática a importância das atividades corporais

O público que esteve na Central de Regulação de Lauro de Freitas nesta sexta-feira (8), além de marcar consultas e exames, também teve a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os benefícios das atividades físicas para o corpo e mente.

Além de uma palestra realizada para funcionários e pacientes da central, também foi possível praticar técnicas de alongamento, relaxamento e respiração, ensinadas por fisioterapeutas que atuam na rede municipal de saúde.
Coordenadora de reabilitação da atenção especializada em saúde de Lauro de Freitas, a fisioterapeuta Gisele Assis deu dicas importantes, especialmente para quem tem pouco tempo disponível.

“Se trocar o carro pela bicicleta ou pela caminhada, o elevador pelas escadas, já ajuda muito. Atitudes como essas já trabalham com questões cardiovasculares. Precisamos tirar um tempo no nosso dia a dia para nos dedicarmos a nós mesmos, à nossa saúde e bem estar”, orientou.

A falta de tempo, um dos argumentos mais usados por muitas pessoas para não praticar atividades físicas, foi uma das questões tratadas durante a palestra. As profissionais chamam a atenção para momentos que podem ser criados para movimentar o corpo, como o tempo que as pessoas ficam ao celular ou vendo televisão e até durante os pequenos intervalos no trabalho, que podem ser usados para alongamentos e a prática de técnicas de respiração.

“A diminuição da incidência de doenças cardiovasculares e uma melhor qualidade do sono são alguns dos ganhos daqueles que se exercitam. Com a pandemia, um grande número de pessoas acabou desenvolvendo quadros de ansiedade e até depressão, que também podem ter seus efeitos negativos minimizados com a prática de exercícios físicos”, destacou a fisioterapeuta Aldileia dos Santos Lima, que também participou da ação na Central de Regulação.

Os malefícios provocados pelo sedentarismo foram confirmados por Danilo Lopes de Azevedo, que aproveitou um intervalo no trabalho para se movimentar um pouco. “Eu sempre fiz academia, mas há uns dois meses e hoje aqui durante a atividade já senti um pouco a coluna, o que não acontecia antes. Um movimento simples, mas que fica difícil quando estamos no sedentarismo, muito tempo no celular e com o corpo parado. É preciso se exercitar, porque com o tempo, a idade, esses pequenos incômodos acabam se tornando algo mais grave”, alertou.

 

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde