dezembro 16, 2018

970×90

Google e Facebook pretendem erradicar vídeos extremistas

Google e Facebook pretendem erradicar vídeos extremistas

Alguns dos maiores sites da internet para assistir vídeos começaram a usar, sem alarde, a automação para remover conteúdo extremista de suas plataformas, de acordo com duas pessoas familiarizadas com o processo ouvidas pela agência Reuters. O YouTube, que pertence ao Google, e o Facebook estão entre as empresas que pretendem apagar rapidamente material relacionado ao grupo Estado Islâmico (EI).

A tecnologia foi originalmente desenvolvida para identificar e remover conteúdos protegidos por direitos autorais em sites de vídeo, mas agora também será utilizada para materiais extremistas.

Quando implementado, o sistema não só vai barrar vídeos originalmente postados por grupos extremistas, mas também será capaz de impedir que outros usuários realizem novamente o upload do mesmo conteúdo já bloqueado.

No fim de maio, as empresas de tecnologia Facebook, Twitter, YouTube, do Google, e Microsoft apresentaram um novo código de conduta para combater o discurso do ódio em toda as plataformas de mídia social. O esforço foi ampliado após os recentes ataques terroristas em Bruxelas, na Bélgica, e em Paris, na França. O Twitter, por exemplo, já suspendeu 125 mil contas relacionadas com o EI desde meados de 2015.

Compartilhe isso
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde
%d blogueiros gostam disto: