junho 13, 2021

970×90

Guarda municipal é preso suspeito de envolvimento na morte de Marcelo Tosta

O guarda municipal Naílton Adorno do Espírito Santo, 30 anos, foi autuado em flagrante, na tarde do último domingo (4), e responderá por co-autoria no homicídio de Marcelo Tosta dos Santos, 37, morto a tiros em um casa de shows localizada no bairro de Patamares, na capital baiana, no último sábado (3). Equipes do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) apreenderam uma pistola 380 de uso pessoal do agente municipal, que pode ter sido utilizada no crime ocorrido na casa de eventos Coliseu.

Informações preliminares apontam que Naílton e um amigo discutiram com Marcelo. Os três trocaram socos e em determinado momento foram efetuados os disparos contra a vítima.

Segundo o diretor do DHPP, José Bezerra, o guarda foi ouvido pela segunda vez no domingo e ele não disse quem participou da briga contra Marcelo. Limitou-se a falar que não sabe o nome do outro homem e apresentou diversas contradições a cada versão contada, além de mentiras e omissão de informações.

Ainda de acordo com José Bezerra, mesmo hospitalizado, por conta do tiro que recebeu no joelho, o guarda é considerado preso, pois “não resta dúvida na participação dele no assassinato”.

O DPT (Departamento de Polícia Técnica) fará exames para saber se o guarda fez disparos recentes com arma de fogo. O procedimento será realizado pela Coordenação de Química, através do MEV (Microscópio Eletrônico de Varredura).

Nota

Depois da divulgação da notícia pela Secretaria de Segurança Pública(SSP), do envolvimento do Guarda Municipal, a Prefeitura de Salvador divulgou nota dizendo que Nailton não estava em serviço na hora do episódio, diz que lamenta o ocorrido e espera acesso ao registro da ocorrência. Veja a íntegra da nota:

“A Prefeitura esclarece que acompanha as investigações da Polícia Civil sobre o envolvimento do guarda municipal Naílton Adorno Espírito Santo no assassinato do empresário Marcelo Tosta dos Santos, após uma briga no Coliseu, na madrugada de sábado (03). O guarda não estava de serviço durante o episódio. A Prefeitura lamenta profundamente o ocorrido e a Guarda Municipal espera ter acesso ao boletim de ocorrência e depoimento do servidor para tomar uma posição mais firme e definitiva sobre o caso”.

O caso

Marcelo morreu dentro da casa de shows Coliseu do Forró. A PM (Policia Militar) informou que acompanhou o atendimento do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que constatou o óbito da vítima e isolou a área até a chegada do DPT (Departamento de Polícia Técnica) para realização da perícia.

Em nota, o Coliseu lamentou o ocorrido e disse que se solidariza com as famílias e pessoas atingidas. Segundo o comunicado, a noite contava com uma equipe de seguranças monitorando o acesso e antes de entrar na casa todos passaram por revista, seguindo protocolo adequado.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde