setembro 25, 2021

970×90

Lauro de Freitas entrega cestas básicas a trabalhadores afetados pela pandemia

Lauro de Freitas entrega cestas básicas a trabalhadores afetados pela pandemia

Desde o início da pandemia, em março do ano passado, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania de Lauro de Freitas (SENDESC) entregou mais de 5 mil cestas de alimentação para famílias em vulnerabilidade social assistidas pelos Centros de Referência da Assistência Social – CRAS, Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS e CAPS.

Nesta segunda-feira (07) foi a vez dos vendedores ambulantes das praias do município serem contemplados com a cesta que traz produtos de primeira necessidade como arroz, feijão, óleo e outros itens. Até o final desta semana mais 144 cestas serão entregues para assistidos de diferentes equipamentos da Semdesc, como os CRAS de Portão, Vila Praiana e Itinga.

Trabalhadores afetados pelos serviços paralisados, como ambulantes, motoristas de transporte escolar e alternativos, mães com crianças portadoras de microcefalia e usuários do Programa de Tuberculose também estão sendo beneficiados. Somente de janeiro a maio deste ano foram entregues 3.200 cestas com produtos secos, além de kits com hortifrúti.

“Essa é uma grande ajuda para mim e para minha família. Com a pandemia a situação ficou muito complicada, no momento estou me virando com faxina ou outros serviços temporários que aparecem. Estes alimentos são um alívio e chegam sempre em boa hora”, disse emocionada a vendedora ambulante de pastéis, Maria Rosa, ao receber uma cesta de alimentação. De acordo com ela, que trabalha na praia de Ipitanga há 19 anos, o benefício suprirá as necessidades básicas de sua casa onde vivem três pessoas.

Os alimentos foram entregues pelo Banco de Alimentos da Semdesc. Assim como ela, outros 125 vendedores ambulantes que trabalham nas praias de Ipitanga, Vilas do Atlântico e Buraquinho foram contemplados com a ação. O diretor do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional (Desan), Claudio Lima, explica que cada kit contém alimentos de primeira necessidade como feijão, óleo de soja, arroz e outros.

“Esse é o quarto mês que estamos realizando a entrega das cestas para este público, um dos mais afetados pela pandemia. Para receber a cesta existe uma triagem prévia, todos são cadastrados pela Semdesc”, afirmou.

Antes da pandemia, a ambulante Rita de Cássia trabalhava alugando sombreiros e vendia bebidas e quitutes há mais de 20 anos em Ipitanga, agora ela conta que cada dia tem sido um desafio. “Não tenho conseguido desempenhar outras funções para ganhar dinheiro, está tudo muito difícil. Essa cesta vai garantir a alimentação de toda minha família”, contou.

Já para Wallace Souza, que trabalha com a esposa vendendo acarajé na praia de Vilas, o jeito foi usar a criatividade e encontrar outra forma para ganhar dinheiro. O casal montou uma pizzaria em casa e assim tem conseguido driblar as dificuldades. “A gente tem que enfrentar os desafios. Eu agradeço por nesse momento poder encontrar esse apoio”, disse.

*Política de Segurança alimentar*

Com três importantes frentes de atuação – Restaurante Popular (RP), Cozinha Comunitária e Banco de Alimentos – a política de Segurança Alimentar em Lauro de Freitas se destaca na Região Metropolitana. O município mantém estes equipamentos ativos, mesmo na maior crise sanitária de todos os tempos enfrentada pelo país, sem alterações em seu funcionamento.

Com um cardápio variado diariamente, o Restaurante Popular serve 1.900 refeições balanceadas e ricas em proteínas, vitaminas e sais minerais. Além do almoço, o equipamento oferece suco e sobremesa como acompanhamento, tudo pelo valor simbólico de R$ 2. A Cozinha Comunitária na Itinga, além de almoço, voltou a servir café da manhã.

Já o Banco de Alimentos, equipamento que compõe a rede de segurança alimentar no município, é mantido através de doações de iniciativas públicas e privadas. Todas as doações recebidas são repassadas. “Nós queremos sensibilizar a rede do nosso município para que se torne um parceiro nesta ação, parceiro de pessoas. As empresas devem buscar exercer este papel de responsabilidade social”, disse o secretário Tito Coelho.

A coordenadora do Banco de Alimentos, Rute Lisboa também chama a atenção para a necessidade de que empresas de médio e grande porte colaborem com as doações. “A fome não espera, é uma emergência! Mesmo que pra você seja pouco, na mesa de quem não tem nada é muito. Doe!”

Para colaborar com as doações que abastecem o Banco de Alimentos, os interessados devem entrar em contato através do número 3288-8646.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde