julho 30, 2021

970×90

Palestra leva informação sobre mortalidade materna e reforça a importância do pré-natal em Lauro de Freitas

Palestra leva informação sobre mortalidade materna e reforça a importância do pré-natal em Lauro de Freitas

 

Mulheres em idade reprodutiva e gestantes participaram, nesta quarta-feira (16), na Escola Municipal Amauri Siqueira Montalvão, no Capiarara, de mais uma palestra sobre Mortalidade Materna, promovida pela Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres (SPM) de Lauro de Freitas. A iniciativa reforça a importância do acompanhamento pré-natal e aborda os principais desafios das futuras mães durante a pandemia do coronavírus.

De acordo com a enfermeira Lívia Paranaguá, a ausência de acompanhamento médico durante a gravidez é um dos principais fatores para os óbitos das gestantes. Ela explicou, usando recursos audiovisuais, que “morte materna é a morte de uma mulher ocorrida durante a gestação, durante o parto e dentro do período de 42 dias após o fim da gravidez”. Entre as causas mais frequentes estão hipertensão, hemorragias, infecções, abortos e complicações no parto.

Em Lauro de Freitas, entre 2015 e 2020, foram registrados 15 óbitos de mulheres nestas condições, segundo dados monitorados pela Vigilância Epidemiológica. O município oferece acompanhamento pré-natal realizado nas Unidades de Saúde da Família (USF) e pré-natal especial para gestações de alto risco.

“Essa é a terceira palestra que realizamos com este foco. Entendemos que é importante dialogar sobre algumas situações que as mulheres passam e precisam de cuidados. Estamos levando até as comunidades e bairros mais distantes estas informações”, ressaltou a secretária da SPM, Juçara Neves.

Além das orientações quanto aos riscos da automedicação, visitas regulares ao médico e tratamento adequado de doenças durante a gestação, a palestra tem o intuito de chamar a atenção e transformar a comunidade em agentes multiplicadores. “Fiquem atentos às gestantes que vivem perto de vocês, percebam se ela está indo mensalmente às consultas e reforcem a importância de fazer o pré-natal para assegurar vida saudável para mães e filhos”, destacou Lívia.

Pré-natal x pandemia

A importância de manter a frequência no pré-natal durante toda a gestação foi reforçada pela enfermeira. De acordo com Lívia, muitas gestantes estão deixando de ir ao médico com medo da Covid-19. “Não devemos ter medo, devemos nos cuidar porque existem outras doenças que também pode matar”, alertou completando que “muitas mulheres têm doenças preexistentes como diabetes e hipertensão e necessitam de acompanhamento para evitar agravamento”, finalizou.

 

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde