junho 12, 2021

970×90

Polícia Federal e MPF vão entrar na investigação da Adsumus

O juiz Marcos Adriano Silva Ledo aceitou, nesta quinta-feira (24), o pedido do Ministério Público da Bahia (MP-BA) para que as investigações da Operação Adsumus sejam compartilhadas com órgãos federais.
Com a decisão, a Polícia Federal, o Ministério Público Federal (MPF), o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria Geral da União (CGU) vão apurar o esquema de corrupção que atua em mais de 80 municípios baianos.
Os investigados são suspeitos de terem cometidos os crimes de associação criminosa, fraude em licitações, lavagem de capitais e peculato, entre os anos de 2011 e 2015. O desvio de dinheiro público ocorreu por meio contratos de obras, material de construção e locação de veículos e máquinas.
Homologação – Uma colaboração premiada, que complica a vida do prefeito de Santo Amaro, Ricardo Machado (PT), foi homologada pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

A delação é de um dos empresários envolvidos no caso. O conteúdo, que ainda está sob sigilo, traz provas detalhadas sobre a atuação do petista, que é apontado como principal articulador do esquema investigado.
Com a previsão de que a sua situação na Adsumus vai se agravar nos próximos meses, Machado decidiu trocar de advogado. O gestor contratou no início deste mês o escritório de Gamil Föppel para atuar na sua defesa. O jurista é conhecido por advogar para empresários e políticos, como vice-governador da Bahia, João Leão (PP), na Operação Lava Jato. (Fonte: Bahia.ba)

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde