dezembro 07, 2019

970×90

Políticos baianos reagem a desistência de Barbosa

Políticos baianos reagem a desistência de Barbosa

A decisão do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, de desistir da candidatura a presidente da República provocou uma reação na Bahia. O magistrado aposentado se filou ao PSB e cogitou entrar na corrida presidencial. “Está decidido. Após várias semanas de muita reflexão, finalmente cheguei a uma conclusão. Não pretendo ser candidato a Presidente da República. Decisão estritamente pessoal”, disse o novo socialista, em sua conta no Twitter. Presidente do PSB na Bahia, a senadora Lídice da Mata afirmou que a postulação de Joaquim Barbosa ao Palácio do Planalto não estava “plenamente” discutida no partido. “Foi uma decisão pessoal do ex-ministro. A sua candidatura, entretanto, ainda não estava plenamente discutida internamente no partido e precisávamos dessa discussão”, disse, por meio de nota.

A socialista baiana já tinha se manifestado contra a candidatura do ex-ministro. “Eu, especialmente, acho que as soluções para a presidência da República devem nascer da política. Não tenho nada contra ele. Só acho que a solução da política deve ser dada pela política”, ressaltou à época da especulação de que Joaquim Barbosa entraria na briga pela Presidência. Pré-candidato ao Senado, o deputado federal Jutahy Magalhães Júnior (PSDB) comemorou a decisão do magistrado aposentado e avaliou que favorece o presidenciável tucano Geraldo Alckmin. “Abriu-se uma avenida gigantesca com a desistência de Joaquim Barbosa para Geraldo Alckmin chegar ao segundo turno. É a melhor notícia dos últimos dias”, afirmou o parlamentar baiano.

No entendimento de Jutahy, a renúncia do socialista abre a possibilidade com “muito mais facilidade” da vitória de Alckmin em São Paulo, considerado pelos tucanos como “local decisivo” para uma eventual eleição do ex-governador paulista. “Ganhar bem em São Paulo é fundamental para chegar ao segundo turno”, frisou o deputado.  O ex-ministro do STF, que ficou conhecido por ter sido relator do mensalão, apareceu em terceiro lugar no último Datafolha, com 8% a 10% das intenções de voto, a depender do cenário. Ele ficava atrás apenas do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) e da ex-ministra Marina Silva (REDE-AC). Agora, com a desistência de Barbosa, ganhou força no PSB a possibilidade de um acordo com o PDT em torno do apoio à pré-candidatura de Ciro Gomes. “Nunca deixamos de conversar com o PSB e continuaremos a conversar. Só depende deles [um acordo]”, disse o presidente do PDT, Carlos Lupi.

Trb

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde
%d blogueiros gostam disto: