julho 21, 2019

970×90

Portão indica demandas que devem ser contempladas na revisão do PDDM

Portão indica demandas que devem ser contempladas na revisão do PDDM

A hospitalidade do povo e a diversidade de manifestações culturais foram destacadas pelos moradores de Portão, em Lauro de Freitas, como os pontos mais fortes da localidade durante a audiência do Planos de Bairro realizada na tarde deste sábado (15), na Escola Municipal Félix Cardoso de Araújo. A oitiva que compõe a revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Municipal (PDDM), percorrerá todos os bairros da cidade até o final deste ano para anexar à lei as demandas da população, com objetivo de projetar essas regiões para atender as necessidades pelos próximos dez anos.

A prefeita Moema Gramacho explicou a diferença entre as oitivas do Planos de Bairro e as audiências do Orçamento Participativo (OP). De acordo com Moema, o OP é uma iniciativa das gestões do Partido dos Trabalhadores em todo país. “É uma estratégia para solucionar demandas apontadas pela população como prioridade com o prazo de um ano. Já o PDDM é estabelecido com bases em diretrizes previstas na legislação federal. Esse documento é revisto a cada dez anos por que a cidade está sempre em constantes mudanças. Os Planos de Bairro é uma ferramenta que utilizamos para compor esse documento ouvindo a população que é quem vive o bairro”, disse.

Segundo o coordenador da Secretária de Governo (Segov), Marzo Santos, o mesmo questionário que compõe a metodologia da audiência presencial dos Planos de Bairro está disponível na página digital www.laurodefreitas.ba.gov.br/planosdebairro para que um maior número de pessoas possa opinar sobre o futuro do lugar em que vive. “Assim como acontece nas oitivas, na internet o cidadão responderá ao questionário que contém perguntas referentes aos pontos positivos, negativos e soluções para o bairro”, contou.

Santos explica que passadas as 22 audiências nos 19 bairro, todo material será condensado e transformado numa devolutiva que será apresentada novamente a população e só então encaminhada a Câmara Municipal dos Vereadores para apreciação e votação. 

Para a estudante Maria Clara, representando um dos dois grupos formados pela sociedade civil para eleger pontos positivos, negativos e soluções para Portão, entre os problemas da falta de planejamento estão a ausência de áreas de lazer, acessibilidade e problemas no horário do transporte. Para Rodrigo Castro, representante do outro grupo, a necessidade de um posto médico 24 horas e contratação de mão de obra local devem ser prioridades. 

Moema informou que após a inauguração do Hospital Metropolitano, prevista para novembro, o Hospital Menandro de Faria será municipalizado e transformado em maternidade. “A partir daí caberá um Posto de Saúde que funcione 24 horas no bairro”, explicou. 

A prefeita também pontuou o início da licitação para o novo sistema de transporte municipal. “Nós teremos micro-ônibus circulando nos bairros com wi-fi e acessibilidade, e na Avenida Santos Dummont ônibus levarão a população até o metrô, tudo isso com tarifa integrada. Entre os benefícios essa proposta reduzirá o fluxo de veículos na cidade”, disse.

A audiência do Planos de Bairro em Portão contou com a participação de vereadores, secretários e do padre Rogério. A próxima audiência será realizada dia 27, no Parque São Paulo, Itinga.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde
%d blogueiros gostam disto: