setembro 19, 2021

970×90
970×90

Prefeitura e representantes de escolas particulares discutem modelo de ensino híbrido em Lauro de Freitas

Prefeitura e representantes de escolas particulares discutem modelo de ensino híbrido em Lauro de Freitas

O retorno das aulas presenciais em um modelo de ensino híbrido. Esse foi o principal assunto debatido na tarde desta terça-feira (16), durante uma reunião entre a prefeita de Lauro de Freitas e representantes de escolas particulares do município.

Mesmo ainda sem previsão para a flexibilização das aulas remotas, ficou decidido que a partir da próxima semana, as escolas vão apresentar à gestão protocolos e modelos de ensino híbrido para que comecem a ser analisados pela Secretaria de Educação e a Controladoria Geral do Município. Depois disso, a Prefeitura vai aguardar o momento oportuno para poder aplicá-los.   

A prefeita ouviu atentamente os relatos dos representantes, anotou as demandas apresentadas e garantiu o diálogo constante com essas instituições, mas ressaltou que qualquer avanço vai depender da situação epidemiológica da Covid-19 no Estado e no Município. 

“Temos que deixar as aulas híbridas preparadas e manter o diálogo permanente. Ainda é um momento de incerteza muito grande, devido ao pico de contágio da doença. Por enquanto, as aulas retomam de forma remota, tanto na iniciativa privada quanto no setor público. Houve um consenso de que não é possível retornar às aulas presenciais por agora”, afirmou Moema Gramacho.

Um grupo formado por gestores de seis escolas particulares de Lauro de Freitas relatou as dificuldades enfrentadas pelas instituições e apresentou informalmente exemplos de ensino híbrido que podem vir a ser utilizados pelas instituições. 

“Estamos aqui para buscar ações de fato que dê fôlego para as escolas. Precisamos tentar experimentar algo, ver se podemos avançar. Pensar em grupos de estudo com um número reduzido de alunos”, afirmou Wilson Abdon, representante da Escola Perfil, alertando que quando o assunto é educação infantil, os pais estão optando por deixar os filhos fora das escolas. Na escola representada por ele, houve uma redução de 70% de alunos matriculados na educação infantil. 

Outro tema abordado foi com relação às atividades esportivas. “Os pais não compreendem porque pode ter atividades esportivas em outros espaços e nas escolas não. Nesse sentido acho que podemos avançar também”, disse Antônio Fragoso Filho, representante do Mendel Vilas.

Ensino híbrido é a metodologia que combina aprendizado online com o offline, em modelos que mesclam momentos em que o aluno estuda sozinho, de maneira virtual, com outros em que a aprendizagem ocorre de forma presencial, valorizando a interação entre aluno e professor.

A importância de manter os alunos matriculados em uma unidade escolar, seja ela pública ou privada, também foi destaque no encontro. “Nós vamos incentivar para que os pais matriculem os seus filhos. É preciso matricular mesmo para as aulas remotas, pra que a gente possa garantir um nível de qualidade na educação dos nossos alunos, seja da rede pública, seja da rede privada. Os alunos não devem ser prejudicados por conta da falta de vacina. Ainda não foi programada a fase de aplicação da vacina para os professores e demais membros da educação das escolas. Além disso, sequer foi tratado como será a vacinação para jovens e crianças”, disse a prefeita.

Além de representantes de seis escolas particulares de Lauro de Freitas, também participaram da reunião, a secretária de Educação do Município, Vânia Galvão e o controlador Geral do Município, Ápio Vinagre.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde