dezembro 08, 2021

970×90

Preitura de Salvador irá demitir 1.000 pessoas

O prefeito ACM Neto (DEM) pretende cortar mil terceirizados e substituir cinco mil por contratos Reda. Com essas mudanças, que serão feitas no âmbito da reforma administrativa no início do seu segundo mandato, espera economizar R$ 60 milhões por ano. Ele deu as informações após participar da abertura do Encontro de Orientação do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) com Prefeitos Eleitos e Reeleitos, realizado na última quarta-feira (16) no Hotel Fiesta.

Neto explicou que “a parte substantiva da economia” será no corte dos terceirizados. Atualmente a prefeitura conta com 11 mil terceirizados. “O restante da reforma é neutra (em termos de economia). O redesenho do governo vai ocorrer sem impacto, nem de crescimento nem de diminuição de despesa. O que vai representar isso é a questão dos terceirizados”, disse.

No encontro, ao falar para uma plateia de prefeitos, Neto aconselhou os colegas a “fazer o dever de casa” logo no início da gestão como ele fez no seu primeiro mandato. “Ou arruma a casa adotando medidas amargas no começo ou não consegue fazer adiante”, disse, lembrando que, como os eleitos em outubro ainda têm “capital político” para enfrentar as pressões, deve fazer tudo para se obter o equilíbrio financeiro e sugeriu aos prefeitos reduzir os servidores terceirizados como ele próprio quer fazer.

Disse que, diante da crise econômica, os prefeitos não devem esperar “ajuda externa” nem contar com a sorte. “Tem que se preparar por conta própria”. Sugeriu ainda que os prefeitos se unam para reivindicar uma parcela maior de recursos caso o Congresso Nacional reabra o processo de repatriação. “Precisamos nos mobilizar antes mesmo de o assunto começar a ser discutido no Congresso”. A prefeitura de Salvador recebeu R$ 44 milhões da parcela que tinha direito na repatriação.

Eleição

Sobre a eleição de presidente da Câmara Municipal, Neto admitiu uma intervenção para evitar disputa. “Se não for possível, deixa a disputa existir e que no dia seguinte todos estejam juntos como foi há quatro anos”. Assegurou que ainda não está “atuando” no processo, o que deve ocorrer em dezembro. “A atuação vai ser olhando se será possível evitar uma disputa. Se for possível, ótimo”, assinalando que não tem preferência por nomes desde que seja de sua base.

O prefeito eleito de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão, também presente ao encontro dos gestores eleitos, disse estar com dificuldades para obter informações da prefeitura neste período de transição: “Esperávamos um gesto de grandeza do nosso prefeito, porque afinal de contas a maior potência do mundo deu agora exemplo de civilidade quando Obama convidou Trump para um encontro apesar das farpas que trocaram, entendendo que os Estados Unidos são maiores que os dois. Pedimos ao prefeito Guilherme Menezes uma antecipação do processo de transição por ser dezembro um mês de festas, mas ele não acatou, sequer assinou, mandou um ofício assinado pela secretária da Administração, portanto não criou facilidades para transição”.

 

Por Biaggio Talento

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde