junho 13, 2021

970×90

Primeiro bairro planejado de Lauro de Freitas tem como pilares uso da tecnologia de última geração e sustentabilidade

Primeiro bairro planejado de Lauro de Freitas tem como pilares uso da tecnologia de última geração e sustentabilidade

Um espaço planejado, sustentável, inteligente, conectado e humano. Estes são alguns dos atributos do primeiro bairro planejado de Lauro de Freitas, um projeto da iniciativa privada que será construído às margens da Via Metropolitana, em uma área superior a um milhão de metros quadrados. O conceito do novo bairro, que de acordo com os seus idealizadores servirá de modelo para outras cidades do Brasil, foi apresentado à prefeita Moema Gramacho e representantes de nove secretarias municipais em reunião realizada nesta terça-feira (1º).

 

Idealizador do projeto, Paulos Bastos, da PB Patrimonial Negócios e Incorporações, detalhou o conceito a partir do qual foi pensado e planejado o novo bairro. “A ideia sempre foi criar um espaço a partir do tripé sustentabilidade, inteligência e humanidade, um projeto que teve como ponto de partido os 17 objetivos da Agenda 2030 da ONU, que traz entre outros compromissos a busca por cidades e comunidades sustentáveis, a garantia de água potável e saneamento e a proteção do meio ambiente, entre outros”.

 

De acordo com o projeto apresentado, o bairro novo contará com todo um sistema viário planejado, com ciclofaixas, ciclovias e grandes extensões de áreas verdes contornadas por passeios para evitar a invasão de áreas públicas. Toda a rede de infraestrutura, como iluminação pública com fiação subterrânea, e sistemas de água e esgoto, ocuparão calhas técnicas, estrutura pensada para que a manutenção e ampliação possam ser realizadas sem danificar o pavimento asfáltico.

 

Durante o encontro, a prefeita Moema Gramacho ressaltou a importância do planejamento destes novos espaços antes da execução ou ocupação de novas áreas do município. “Este deveria ser o anseio de todos, planejar antes de executar, o que historicamente não acontece nas cidades e bairros do Brasil e de muitos outros países. A ocupação dos espaços sem um planejamento acarreta uma série de problemas para as cidades. A gestora também destacou uma série de obras que vêm sendo realizadas para melhorar a qualidade de vida de quem mora em Lauro de Freitas.

 

“Tão importante quanto seguirmos cuidando de todos os bairros de nosso município, a partir da realização de obras importantes como a implementação do esgotamento sanitário e a macrodrenagem do Rio Ipitanga, ambas em execução pelo governo do Estado em parceria com a Prefeitura, também é preciso garantirmos que estes novos espaços para onde acontecem a expansão da cidade sejam planejados”, declarou.

 

Além dos espaços reservados aos lotes que serão comercializados, divididos em prédios de apartamentos e casas, outras áreas do novo bairro já se encontram reservadas para a implementação de equipamentos públicos, como o Complexo Escolar do Quingoma, que contará com escola, creche e quadras poliesportivas, posto de saúde, praças temáticas, jardins e hortas coletivas para agricultura familiar, corredores ecológicos de fauna e flora e um parque urbano.

 

A preocupação com o meio ambiente também é um dos pilares do novo bairro. Além da manutenção de áreas verdes, foram realizados estudos para garantir o respeito a todas as bacias e sub-bacias da região. O maior destaque fica por conta da Usina de triagem e compostagem dos resíduos sólidos coletados em todo o município.

 

Na usina será realizada a separação dos materiais que possam ser reciclados, e o restante será direcionado para geração de energia a partir da queima do lixo, que será utilizada em prédios públicos do município e na iluminação pública. De acordo com Paulo Bastos, este deverá ser o pólo mais completo para tratamento de resíduos do Brasil.

 

O capital necessário para a viabilização do projeto será garantido pela empresa paulistana Gespar Brasil Participações Empreendimentos Imobiliários, conforme explicou um dos gestores da empresa, Fernando Leite. “Somos os estruturadores financeiros do projeto. Estamos disponibilizando o nosso capital próprio para dar o pontapé inicial, até que o projeto se torne autossustentável. A população está crescendo e os espaços estão diminuindo, daí a necessidade de termos projetos como estes, um bairro inteligente e autossustentável, que certamente servirá de modelo para outras cidades do Brasil.  Para nós, tudo que tiver envolvendo o setor imobiliário e sustentabilidade é sempre um bom negócio para todos”.

 

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde