abril 10, 2021

970×90

Procon de Lauro de Freitas autua empresas por divergências de preços. Consumidores devem ficar atentos

Procon de Lauro de Freitas autua empresas por divergências de preços. Consumidores devem ficar atentos

Consumidores de Lauro de Freitas devem ficar atentos aos preços de produtos informados nas prateleiras dos estabelecimentos comerciais e o valor cobrado no caixa, alerta o Procon do município. De acordo com o órgão, durante a Operação Páscoa, realizada entre os dias 29/03 e 02/04, a diferença entre o valores fixados nas prateleiras, mais baixos, e o que efetivamente era cobrado ao consumidor na hora do pagamento de alguns produtos, chegou a até R$ 10 a mais por quilo.

Esta foi uma das infrações identificadas pelas equipes do Procon municipal em um estabelecimento comercial do município, ao averiguar os preços cobrados pelo quilo do bacalhau, peixe largamente consumido durante a semana santa. O mesmo problema também foi identificado pelos fiscais em 301 ovos de páscoa em outro estabelecimento, onde por cada ovo de chocolate estava sendo cobrado no caixa R$2 a mais do que o valor identificado nas gôndolas.

De acordo com Breno Mauro, diretor de fiscalização do Procon de Lauro de Freitas, esta é a primeira vez que este tipo de infração é identificada durante a Operação Páscoa, realizada pelo órgão todos os anos no município. “Assim que nossas equipes identificaram a infração, que foi inédita neste tipo de operação, determinamos que os preços fossem corrigidos e autuamos os dois estabelecimentos, que possivelmente serão punidos com o pagamento de multa”.

Durante a Operação Páscoa 20 estabelecimentos que costumam comercializar produtos consumidos durante a semana santa foram fiscalizados em diversos bairros do município. Dois foram autuados por divergências nos preços e um terceiro por descumprimento de oferta anunciada.

Mesmo com a suspensão do atendimento presencial para evitar a proliferação do novo coronavírus, o Procon, órgão ligado à Procuradoria Geral do Município (PGM), continua recebendo denúncias e reclamações por meio do telefone (71) 3288-8919 e pelo email [email protected]

De acordo com a diretoria de fiscalização do órgão, muitas denúncias e reclamações recebidas pelo órgão têm sido solucionadas rapidamente por meio do atendimento preliminar, quando há um entendimento realizado entre empresa e consumidor intermediado pelo PROCON, evitando desta forma a abertura de processo administrativo.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde