maio 15, 2021

970×90

Salvador: Marcelo Maia e Pedro Tavares estudam mudanças na mobilidade de Brotas: “tema polêmico, mas tem que encarar”

Salvador: Marcelo Maia e Pedro Tavares estudam mudanças na mobilidade de Brotas: “tema polêmico, mas tem que encarar”

A mobilidade urbana do bairro de Brotas, um dos mais populosos de Salvador, foi tema central do encontro entre o vereador Marcelo Maia (PMN) e o deputado estadual Pedro Tavares (DEM), nesta quinta-feira (11/02), na Assembléia Legislativa da Bahia (ALBA). Os dois políticos estudam, junto com suas equipes técnicas, algumas mudanças no trânsito da região. Após a conclusão, um relatório será enviado ao prefeito Bruno Reis, ao superintendente da Transalvador Marcus Passos e ao secretário de Mobilidadade Fabrizzio Muller.

“Há um grave problema de congestionamento no bairro de Brotas, principalmente na Avenida Dom João VI. Precisamos discutir o bairro. É algo polêmico, mas o bairro cresceu de forma desordenada. Chácaras viraram condomínios. Ruas que passavam por dia apenas 500 carros, hoje passam mais de 5 mil. É uma situação complicada, mas tem que encarar. Agora, acredito que seja uma questão de adaptação. No início vai ter uma rejeição, porém depois as pessoas vão entender”, acredita Maia, que citou alguns trechos e sugestões que vão fazer parte do documento.

“Algumas vias, como a Ladeira do Acupe e Rua Valdemar Falcão tem que ter fluxo único. Na Dom João VI poderia ser feito um trabalho de adaptação, como há na Avenida Paulo VI, na Pituba”, pontuou.

“Na Ladeira do Acupe foram criados grandes condomínios e a área era apenas uma casa. Hoje tem 5 torres com 30 andares cada. Só há uma saída. Na Rua Hotacilio Santos, também no Acupe, a mesma coisa. Na igreja de Brotas, onde liga Avenida Bonocô a Rua Odilon Doria, há um gargalo, onde também se perde muito tempo. Então esses são apenas alguns exemplos”, afirmou Maia.

O deputado Pedro Tavares lembrou que é preciso adaptar alguns “passeios públicos para as pessoas portadoras de necessidades especiais”. Também citou, assim como Maia, a necessidade de “duplicação da iluminação pública nas principais vias de acesso”.

“As ruas são largas e mesmo colocando luz em LED ficariam deficitárias. Então, tem que ver se pode ser feita a duplicação da iluminação pública. Ou seja, colocar braços de iluminação nos dois lados da via. Concordo com o amigo Marcelo, o bairro precisa ser discutido e precisamos chegar a um denominador comum”, concluiu Tavares.

 

 

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde