novembro 23, 2020

970×90

Shoppings de Salvador pedem a reabertura de provadores e esperam mais clientes com as praças de alimentação

Shoppings de Salvador pedem a reabertura de provadores e esperam mais clientes com as praças de alimentação

Os shoppings que funcionam em Salvador estão na expectativa para que a prefeitura permita a utilização dos provadores nas lojas. O fato de o consumidor não conseguir provar produtos como roupas, sapatos e joias no centro comercial tem feito com que as vendas sejam prejudicadas.

De acordo com o coordenador regional da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Edson Piaggio, o faturamento teve uma queda de R$ 3 bilhões nos mais de 120 dias de lojas fechadas. Medidas como a reabertura das praças de alimentação e a permissão do funcionamento dos provadores ajudariam a recuperação econômica a acontecer mais rápido.

“É muito mais seguro permitir o uso do provador nas lojas do que deixar o consumidor levar o produto para casa e trazê-lo de volta para trocar, pois os shoppings seguem protocolos rígidos e específicos e os provadores seriam higienizados logo após o uso. A compra é vinculada também à emoção e o fato de não conseguir provar logo afeta as conclusões das vendas”, argumentou Piaggio nesta quarta-feira (5), em entrevista ao apresentador José Eduardo, na Rádio Metrópole.

Na avaliação do coordenador regional, a abertura das praças de alimentação com a permissão do consumo no local também ajudará a aumentar o fluxo de visitantes e, por consequência, as vendas. “É uma ilusão dizer que o delivery e o take away representam mais do que 10% no faturamento dos restaurantes. A reabertura das praças de alimentação vai ter uma contribuição importante para a manutenção dos empregos, das vidas e da saúde da população”, acrescentou.

Piaggio adiantou que os shoppings não devem suspender as cobranças de estacionamento, pois isso “não traria nenhuma contribuição” e ainda poderia gerar aglomerações. Ele estima que, quando comparado ao público que visitava os centros comerciais antes da pandemia, o número de frequentadores esteja estabilizado atualmente entre 38% e 40%.

Bnews

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde