dezembro 08, 2021

970×90

TV digital: Anatel libera emissoras e flexibiliza prazo para transmissão de sinal

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou, nesta terça-feira, que o processo de substituição dos sinais analógicos de televisão por sinais digitais terão uma flexibilização em Brasília e região metropolitana. O prazo final para o completo desligamento do sinal analógico, que estava marcado para esta quarta-feira, foi adiado para o dia 17 de novembro. Com a nova data, as emissoras poderão desligar esse sinal na data que preferirem, entre 26 de outubro e 17 de novembro.
A decisão foi tomada pelo Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (Gired) que, além da Anatel, é formado pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), por representantes de radiodifusores e empresas de telecomunicações. Um dia antes do fim do prazo, o grupo deve voltar a se reunir.
Na capital do país, o desligamento do sinal analógico envolve 25 canais diferentes, sendo 13 geradores e 12 retransmissores. Famílias de baixa renda (até 3 salários mínimos ou meio salário mínimo per capita) e que são atendidas por programas sociais, têm direito a receber gratuitamente os conversores, máquinas de adaptação dos aparelhos de TV antigos para o novo sinal. De acordo com a Anatel, 90 mil equipamentos para esse grupo ainda estão disponíveis.

A Anatel não soube informar ao certo quantas famílias ficarão sem o sinal digital de televisão nesse primeiro momento. A previsão do órgão, porém, é que pelo menos 80 mil famílias do DF e região do Entorno não estão preparadas para o recebimento do novo sinal.
ABERT ELOGIA PRORROGAÇÃO
Representante de mais de 300 emissoras comerciais de TV abertas, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) elogiou a prorrogação, por 21 dias, da prorrogação do prazo final para o desligamento da TV analógica em Brasília e em nove municípios do entorno do Distrito Federal. A entidade vinha se dizendo contrária à data de 26 de outubro, sob o argumento de que o percentual estabelecido pelo governo, de que pelo 93% dos domicílios que acessam o serviço livre, aberto e gratuito por transmissão terrestre, estejam aptos à recepção da televisão digital terrestre, não foi alcançado.

— A Anatel fixou uma nova data, porque nós nos posicionamos contra o desligamento com o percentual abaixo daquele que é estabelecido pelo próprio Ministério de Minas e Energia — afirmou o diretor-geral da Anert, Luís Roberto Antonik.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde