julho 30, 2021

970×90

Vacinação dos grupos prioritários contra influenza tem baixa adesão em Lauro de Freitas

Vacinação dos grupos prioritários contra influenza tem baixa adesão em Lauro de Freitas

Após pouco mais de dois meses, a Campanha de Vacinação contra a Gripe em Lauro de Freitas conseguiu imunizar até esta sexta-feira (25), apenas 14.808 dos integrantes dos grupos prioritários. O número está muito abaixo do esperado pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesa) e correspondendo a 23,9% da meta de imunização contra o vírus Influenza, que é de 90%.

De acordo com a Sesa, a expectativa é vacinar 61.046 pessoas até o final da campanha no dia 09 de julho. Para isso é necessário que os integrantes dos públicos alvos procurem uma das 11 salas de vacinação localizadas nas Unidades de Saúde da Família Santa Bárbara, Parque São Paulo, Cidade Nova, Jardim Independência, Tarumã e Pastor Israel Moreira, em Itinga; em Portão, nas USFs Vila Nova e Noel Alves Cruz; em Areia Branca, na USF Antônio Carlos Rodrigues. No Jambeiro, a imunização é realizada na USF Padre João Abel, e no Capelão, na USF Manoel José Pereira, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.

Outras cinco salas temporárias foram instaladas em locais estratégicos para ampliar a cobertura vacinal com horário de atendimento das 14h às 16h. São eles: Centro, no drive do Ginásio do Aracuí, quando não houver vacinação da Covid-19; em Portão, na escola Kleber Pacheco; Escola Dois de Julho e na Escola Vovó Ciça, em Itinga. Outro ponto foi colocado na Escola Municipal Vida Nova. Para ser vacinado é necessário apresentar cartão SUS e documento oficial de identificação com foto.

Os públicos compostos por gestantes, puérperas, idosos, profissionais de saúde, crianças com idade entre seis meses a menores de seis anos, indígenas e professores foram chamados nas fases anteriores da campanha, mas aqueles que ainda não receberam a dose podem se dirigir a uma das salas de vacinação do município e garantir a proteção. Até agora, de 22.411 idosos apenas 3.097 se vacinaram, o que corresponde a 13,81% da meta. Entre as grávidas, de 2.293 gestantes o município vacinou apenas 1.029 o que significa em percentuais 44,87%.

Atualmente a Campanha está na terceira fase direcionada a pessoas com comorbidades, com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário, trabalhadores portuários, profissionais das forças de segurança e salvamento, das forças armadas, agentes penitenciários, presidiários e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Para a dona de casa Gislene Silva, que convive com a asma desde os nove anos, a vacina da gripe é imprescindível. “Todos os anos eu tomo. É importante para nos protegermos. Com gripe não se brinca”, falou.

O secretário municipal de Saúde, Augusto César Pereira, orienta a população para a necessidade do intervalo de 14 dias entre as doses da vacina da gripe e Covid-19. “As pessoas devem estar atentas a este período. Lembrando que se vacinar contra a gripe é também muito importante, porque além de ser uma doença com sintomas respiratórios pode ocorrer agravamento com risco de morte. Além disso, a doença baixa a imunidade, num período difícil como este de pandemia que vivemos”, falou.

Quem não pode tomar a vacina da gripe

A vacina da gripe é administrada todos os anos e protege contra três cepas do vírus Influenza (A H1N1 e H3N2 e B). Não devem receber a dose pessoas com quadros febris ou sintomas gripais. “Estas pessoas devem esperar 30 dias após o surgimento dos sintomas para serem vacinadas”, informou César.

A vacina da gripe é administrada com uma dose no braço. A imunização ajuda a desenvolver anticorpos contra a doença evitando o surgimento de complicações graves como pneumonia e outros problemas respiratórios, além de hospitalização e morte.

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde