novembro 27, 2021

970×90

Workshop sobre toques sacros no CFA com o músico Gabi Guedes

O músico Gabi Guedes vai ministrar o workshop “Vivência Percussiva em Ritmos Afro Religiosos”, no Centro de Formação em Artes (CFA). A aula acontece nesta terça-feira (25), no período da manhã e da tarde. Serão disponibilizadas 20 vagas. “Trabalharemos as técnicas Open, Slap, Swip, Baixo e outras utilizadas para obter uma sonoridade limpa e dinâmica com os atabaques”, explica o professor.

O CFA é uma umidade da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado.

Gabi Guedes é mestre de percussão, e Alabé Chefe do Ilê Omin Axé Iyá Massê e do Terreiro do Gantois. É também referência rítmica da Bahia na comunicação e transmissão de conhecimento dos tambores sacros afro-baianos. Trabalhou com Jimmy Cliff durante 10 anos. Em 2016 participou da cerimônia de encerramento das olimpíadas RIO2016, no estádio do Maracanã, como instrumentista e arranjador da apresentação do Hino Nacional Brasileiro ao som de atabaques.

Programa 

No conteúdo do workshop, Gabi também inclui a fusão com toques de nação Jeje como: Savalu, Brawum, Avaninha, Agabi. O músico introduzirá toques da nação angolana, sem utilização de aguidavi para tocar os ritmos Barra-vento, Congo, Cabula Munjola, Samba de Caboclo, tendo a oralidade como base nos estudos rítmicos.

De acordo com o músico, a proposta do workshop é “eternizar o legado que nos foi deixado pelo maior tocador de atabaques do Brasil (Vadinho Boca de Ferramenta), Alabe do terreiro Ile Iya Omi Axe Iyamasse (Mãe Menininha do Gantois ), além de trabalhar toques da nação Ketu como – Vassi, Ilu, Bruwum, Agere, Opanije, Sato, Hamunha, Awo. A ação no CFA tem coordenação de Edu Fagundes.

Sobre o músico

Percussionista da Orkestra Rumpilezz há 10 anos, Gabi iniciou a trajetória artística aos 9 anos, quando participou da peça O espírito do menino do planeta Terra, dirigido pelo cineasta José Agripino de Paula. Em 1985 atuou na Orkestra de Emilia Biancardi. Participou do Fest Percusionale, Berlin (1989); do projeto Pata-Bahia com Norbert Stein (1998); do encontro de percussão em Berlin – Fest der Kontinente (2000); projeto Born to Samba, Munique, Hanburgo (2007); Afro Bossa Nova, com Armandinho e Paulo Moura (2008); encontro de percussionista da Ufba, na programação do PercPan (2008); Tudo é Percussão 2, homenagem à musicóloga Emilia Biancardi (2009).

Gabi desenvolve o trabalho de música instrumental autoral PRADARRUM e foi palestrante no projeto Perspectivas Históricas e Culturais dos Ritmos Afrobaianos na Pracatum. Criou, para o Balé do Teatro Castro Alves, trilhas sonoras de grandes espetáculos, a exemplo de Saurê, Ilhas, Sanctus e Iêcamará, com renomados coreógrafos como Augusto Omolú, Armando Pequeno, Luiz Arrieta, Antônio Carlos Cardoso, Vitor Navarro. Participou de turnês internacionais pela Europa, África, Estados unidos, Canadá. Em sua atuação ressalta-se a realização de workshops sobre os ritmos afro-baianos em turnês internacionais e a publicação de um livro Brésil Afro-Roots, com transcrição de ritmos do Candomblé, em Paris – França, em 1989.

Serviço:

Vivência Percussiva em Ritmos Afro Religiosos
Com: Gabi Guedes
Quando: 25 de outubro, terça-feira, no período da manhã e da tarde
Valor: R$ 70
Vagas: 20
Informações: 3117-6452
E-mail: [email protected]

Compartilhe
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

abaixo de Saúde