novembro 18, 2018

970×90

“O time se entregou de corpo e alma”, diz técnico do Bahia após empate com o Palmeiras

“O time se entregou de corpo e alma”, diz técnico do Bahia após empate com o Palmeiras

Após o empate do Bahia por 1 a 1 com o Palmeiras, na Arena Fonte Nova, o técnico Enderson Moreira concedeu entrevista coletiva e falou sobre o duelo onde o Tricolor jogou fora uma grande oportunidade de figurar na primeira parte da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro.

“Não posso olhar para o jogo de hoje e dizer que minha equipe não produziu. Merecíamos um resultado diferente. Não posso enxergar que a equipe fez um jogo abaixo do Palmeiras de maneira nenhuma”, disse o treinador do Bahia.

Enderson Moreira também comentou sobre a entrada do volante Edson, tendo Flávio no banco de reservas.

“Coloquei o Edson por opção de jogador com mais imposição física. Talvez o único caminho para o Palmeiras chegar no gol fosse a bola parada. Flávio não tem tanto poder no jogo aéreo. Queria manter esse poder. Nas características que tinha, era mais prudente colocar o Edson. E mesmo assim sofremos o gol de bola parada. Foi praticamente a única finalização no gol que o Palmeiras conseguiu. Claro que a gente deseja os três pontos, pode ser jogar mal e conquistar os três pontos”, afirmou.

Enderson Moreira foi questionado sobre o volante Ramires, garoto da base que fez a sua segunda partida profissional pelo Bahia.

“Acho que Ramires tem dado passos consistentes. Para lançar jogador jovem é necessário ter muita atenção, para não entusiasmar demais, para fazer a ascensão até a titularidade, realmente virar profissional de maneira tranquila. Sempre olho e vejo se ele se recupera bem. Vamos avaliar. No jogo passado ele sentiu o ritmo da partida. Hoje ele hoje atuou o jogo inteiro, com ótima participação. Ele está virando uma realidade, a gente fica feliz. Tem caminhado muito bem nesse sentido”, disse Enderson.

O treinador do Esquadrão também falou sobre os gestos que fez para a torcida. Para ele, o time não merecia as vaias que aconteceram no final da partida.

“Gesticulei pedindo aplausos, o time se entregou de corpo e alma. O resultado não vem, mas a postura é boa. Não entrego só resultado. Gostaria de não ter empates na competição, ser só três pontos sempre. Mas isso é impossível. Posso sempre entregar uma equipe competitiva, que busca resultado a todo instante, com vocação para atacar, para enfrentar adversários de igual para igual. Isso o Bahia tem feito. Expectativa é sempre entregar conquistas e os três pontos. Sempre. Entendo a chateação, mas gostaria que eles reconhecessem o esforço que foi feito para enfrentar uma grande equipe. Não somos uma equipe que busca só o contra-ataques. O Palmeiras tem jogado fora de casa e vencido. Hoje eles estiveram muito perto de conhecer uma derrota. Temos que reconhecer a determinação, vontade dos atletas. Estamos trabalhando, tentando fazer o máximo, o melhor. Nosso torcedor é apaixonado, tenho orgulho de estar no Bahia. O que mais quero é entregar uma equipe que possa jogar bem e entregar os três pontos sempre. Não abro mão disso”.

Compartilhe isso
abaixo de Saúde

Sobre o autor

posts relacionados

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

abaixo de Saúde
%d blogueiros gostam disto: